17jul

Notícias das últimas semanas

Sobre moda, gravidez e até dica de filme!

Dá uma olhada nas notícias escolhidas dessas últimas semanas:

Treinando tênis grávida

A tenista americana maravilhosa, Serena Williams, já tá no terceiro trimestre e quem disse que parou de treinar? Ela publicou um vídeo do seu treinamento essa semana, pegando leve, para voltar às quadras em 2018, depois que o bebê nascer! Inspiração, né?

Veja o vídeo aqui.

 

Tendências de moda gestante

Como eu acredito que moda pode e deve ser para gestante também, resolvi falar um pouco sobre as tendências da moda, porque não né? Ainda mais porque essa trend tá conforto puro! O lance é jogar umas peças de esportes ao ar livre por cima de um look clássico e mudar tudo! Confesso que não é tudo que eu usaria, mas vale experimentar pra ficar mais confortável. Dá uma olhada nos looks aqui.

 

Celebridades e a depressão

Escrevi um pouco sobre puerpério essa semana, e esse é só o começo do turbilhão da maternidade. É sempre bom saber que não é um conto de fadas pra todo mundo e como cada um lida com as próprias dores. Mais importante que tudo é não passar por isso sozinha. Leia aqui como a Charlotte passou por uma depressão pós parto.

 

Acompanhando a gravidez de Eliana

Tá todo mundo acompanhando a gestação da Eliana, cada passinho (até a Xuxa mandou uma mensagem pra Eliana mandando muito amor). Elas tá afastada do SBT poupando as energias e disse no instagram que Manuela, nome da sua filhota, está crescendo dentro da barriga. A gente vibra aqui! Dá uma olhada no post dela aqui.

 

O corpo da mulher é incrível

Essas curiosidades são das coisas mais legais do mundo! Gente como o corpo é incrível e como é dificil engravidar. Gente, dentre as curiosidades a que eu achei mais surpreendente é que os bebês choram no útero!! Não é incrível? Veja as outras 18 aqui.

 

Filme sobre a maternidade lança em agosto

Aquele filmes levezinhos pra assistir comendo pipoca e rindo de bobeiras no sofá. Porque a gente precisa também desses filmes sem grandes mensagens sobre o mundo ou sobre a vida! Dá uma olhada no trailler aqui, vai dizer que não dá vontade de ver? Estreia em agosto!

Gostou das novidades?

E olha que muita, mas muita coisa ainda ficou de fora!

 

 

30jun

O que é e quanto tempo dura o puerpério?

Faz tempo que quero escrever sobre o puerpério, mas ainda não sabia como. Ainda não sei a melhor maneira de abordar essa questão, pela delicadeza que o momento pede, mas vamos lá, com calma e por partes.

 

Faz pouco tempo que começamos a falar mais sobre puerpério, e que bom!

 

Mas o que é o puerpério?

 

Logo que o bebê nasce, parto normal ou não, existe uma coisa chamada resguardo, aquele periodozinho de quarenta dias de recuperação física e de adaptação mental à nova rotina.

E essa nova rotina, com milhões de adaptações, aprendizados e hormônios desorientados, não é fácil!

O corpo começa a perceber que não tem mais um bebê dentro da barriga e vai se remodelando ao novo espaço, ao novo corpo. Além de todas as mudanças físicas, as emoções ficam à flor da pele.

Dá aquela insegurança de pensar que aquele bebezico é pra vida toda. E a gente pensa: não dá pra colocar de volta? Não dá pra fugir e desistir dessa responsa? E a gente percebe nesse tempo que não, não dá.

Uma das melhores definições EVER que eu li sobre puerpério foi da Luiza do blog Potencial Gestante. Se liga na metáfora que vai fazer qualquer pessoa entender o que é esse momento:

“o puerpério acontece naqueles meses após o nascimento do bebê em que parece que te mandaram para um país muito distante, com passagem só de ida. de repente você está lá, lidando com pessoas com uma língua totalmente diferente, uma cultura diferente, culinária, moeda, clima, vestimentas, tudo diferente. seu bebê fala uma língua que não é sua. se alimenta de outra maneira, se veste de outra maneira, se comporta totalmente de outra maneira, tem uns horários esquisitíssimos, emite sons e cheiros fora do que você consideraria comun no seu país de origem. de repente você se vê obrigada a aprender a lidar rapidamente com aquilo tudo por um instinto de sobrevivência. como sair dali não é uma opção, ou você se adapta ou surta.”

Não é gênia essa mulher?

No meio dessa instabilidade emocional e desse desgaste físico algumas coisas podem ajudar a passar por esse momento com um pouco mais de segurança.

Então, como passar pelo puerpério sem surtar? Ou ainda, como manter o minimo de sanidade em momentos de estresse? E até: como não sair correndo pela rua gritando e puxando os cabelos?

  Sanidade no puerpério

Vamos tricotar ou as famosas redes de apoio

Dizem que pra criar uma criança é preciso uma vila inteira, mas eu fico me perguntando e pra cuidar da mãe o que é preciso?

O momento delicado do puerpério

Durante a gestação toda a mulher é cercada de carinho, passa por exames médicos regulares, é acompanhada a cada passo. Daí o bebê nasce e o que acontece com a mulher?

Ninguém sabe, porque tá todo mundo olhando pro bebê.

É pra isso que serve a rede de apoio, cuidar da mãe e não do bebê!

Segue minhas diquinhas:

  • faça uma visita (consentida pelos pais, claro) e prepare a refeição deles
  • ofereça uma faxina ou um cuidado com a casa, tipo: lavar louça, estender a roupa, comprar comida
  • quem sabe ficar com o bebê enquanto a mãe toma um banho longo, heim?
  • o que você acha de oferecer o seu ouvido pra ela poder falar sobre a sua experiência materna?

 

Se você está precisando dessa rede, mande esse texto pros seus amigos. Se você faz parte dessa rede, preste atenção nas prioridades ali em cima, meus amigos.

Prometo que você vai ter tempo de curtir o bebê, principalmente se a mãe dele estiver bem!

 

Vamos alugar um orelhão? Terapia é a escuta qualificada que precisamos!

Muitas vezes as pessoas não querem ouvir nossos dilemas e nós também não queremos ficar dividindo muito as nossas angústias.

Terapia durante o puerpério, vale a pena?

Faça terapia! Essa dica é vida!

Nada melhor que uma pessoa com uma escuta ativa pra acalmar o nosso coração e organizar um pouco as nossas ideias.

M E L H O R coisa da vida é ter esse espaço onde se pode falar inclusive: quero desistir! Não quero mais ser mãe! Que medo desse bichinho que saiu de mim!

E não ser julgada por isso.

Mindfulness e a arte de se concentrar em algo bem objetivo

Pra ser bem prática, Mindfulness é um estado de concentração plena ou a nossa mente presente (que é bem difícil, não é mesmo?).

Porque o puerpério é tão difícil?

Existem treinamentos com práticas pra domesticar nossa mente louca (hahaha) buscando uma atenção às coisas, mais consciente.

Esse estado “mindfulness”, surge quando aprendemos e conseguimos prestar atenção,  sem julgar o momento, observando as coisas como elas realmente são.

Essa é uma boa maneira de sair um pouco dessa bagunça inicial que é a maternidade e tentar focar, respirar e se acalmar com essa meditação incrível.

Claro que dependendo da sobrecarga da pessoa, vale a pena pedir uma ajuda mais especializada como a terapia.

Mas se você já tem uma rede de apoio, por exemplo, a meditação vai ajudar muito!

Se você conseguir, peça ajuda. Você precisa de ajuda nesse momento e é fundamental não estar sozinha.

E se quiser, manda uma mensagem pra gente papear e trocar umas figurinhas! 😉

 

*por Renata Gordo

19jun

Endometriose X disfunção sexual: o que tem a ver o útero com a calça?

O corpo da mulher ainda é um mistério sendo descoberto aos poucos. O prazer feminino, por exemplo, só começou a ser discutido depois da década de 70.

 

O que fazer com os sintomas da endometriose? 

Pasmem minha gente, mas tem gente descobrindo o clítoris agora, em 2017!

Tá, mas o que a endometriose tem a ver com isso?

De acordo com o estudo feito pela Dra. Flávia Fairbanks mulheres com endometriose têm mais que o dobro de disfunções sexuais em relação àquelas que não têm a doença.

Isso pode ser revelador pra muita gente. E com a revelação vem a dúvida: o que é endometriose?

O endométrio é o tecido que reveste a parte interna do útero e que todo mês fica mais espesso. É nesse tecidinho bendito que o óvulo fecundado se instala e começa a gravidez.

Se não tem gravidez, é o endométrio que descama e pra alegria de algumas e a tristeza de outras, a menstruação desce.

Daí que em algumas mulheres acontece um refluxo da menstruação, escapando um pouco pelas trompas. Então, células parecidas com o endométrio, começam a acumular fora da cavidade uterina.

 

O que é endometriose?

Gente, essa doença atinge tantas mulheres que precisamos muito dessas pesquisas.

Alguns sintomas que você pode observar no seu corpo são: cólica menstrual fora do período da menstruação (no meio do ciclo ou durante todo o ciclo), dor nas relações sexuais, principalmente descritas na profundidade, infertilidade e alterações do ritmo intestinal e da urina na época da menstruação.

Imagina como fica a vida sexual de uma mulher com esses desconfortos todos? Um horror, claro.

Por isso que é importante a pesquisa sobre a doença. Sempre que se pesquisa sobre algum assunto os avanços no diagnóstico e no tratamento são imensos. Então, obrigada a Dra. Flávia Fairbanks por avançar nesse assunto que pode ser mais um passo para tratar esse transtorno que aflige milhares de mulheres.

A pesquisa da Dra. Flávia, ginecologista do Hospital das Clínicas da USP, estima que 10% da população feminina apresentam essa doença e, quando são estudadas populações específicas de mulheres com dor pélvica ou infertilidade, a prevalência pode atingir até 47% dos casos.

Como ficar grávida com endometriose?

É possível diagnosticar a endometriose através de alguns exames como: ultrassonografia transvaginal e ressonância magnética. Entre outros exames complementares que podem ser pedidos também.

Mesmo sendo uma doença benigna, ainda não se sabe a causa da doença, por isso também não existem informações para preveni-la.

Descobri pelo site gineco.com.br que existem dois tipos de tratamento.

1- Tratamento cirúrgico por laparoscopia:

Dessa forma, a endometriose é removida e em alguns casos, é possível eliminar só os focos da doença ou as complicações que ela traz – como cistos, por exemplo.

2- Tratamento com medicamentos:

A alopatia é extensa então existem diversos medicamentos disponíveis para tratar a endometriose. No site também diz que é possível reduzir os sintomas utilizando o DIU com levonorgestrel.

Quem tem endometriose e quer engravidar, saiba que é possível. Converse com o seu médico. =)

 

É importante também saber que ainda não existe cura para a endometriose. Os tratamentos aliviam as dores e amenizam os sintomas todos.

O que as mulheres podem fazer para manter a saúde em dia é consultar regularmente o ginecologista.

Não sofra sozinha, mesmo ainda não tendo uma cura, os sintomas podem ser aliviados, as dores todas podem ser amenizadas e a vida sexual reativada!

 

14jun

Vestido de amamentação Rafaela e sua história

Sabe uma coisa que eu percebi?

Ainda que inconsciente, toda roupa conta e carrega consigo uma história.

Antes um aviso: pode até parecer um post filosófico, mas continua lendo comigo que acho que você pode gostar do que eu vou escrever. Prometo!

Tem a história de quem veste e a história de quem cria. Hoje vou contar a historinha do vestido Rafaela pra vocês e como foi o processo criativo dele (hummmm mitxida!).

Eu queria uma peça que pudesse refletir aquela mãe prática, pau pra toda obra, que apesar do dia a dia não abre mão do conforto, leva o filho pra cima e pra baixo e ainda assim consegue estar bem vestida! UAU, mas isso é possível?

Pode até dar uma “raivinha” ao ler o parágrafo anterior, porque eu e você bem sabemos que MÃE que é mãe dá aquela descabelada bonita e não abre mão daquele look no estilo “voltei da guerra, mas tô legal assim e AI de quem abrir a boca”.

Tá. Todo mundo tem esses momentos, e esses looks dignos de assustar qualquer criança (e que no fundo é bem libertador usá-los de vez em quando!). Mas quem não gosta de ficar bonita sem fazer muito esforço?

Pensei então nessa mulher: real, mãe, urbana, descolada, prática, básica e estilosa!

Mas quem seria essa pessoa? Aonde achar minha musa inspiradora? hehe.

Tenho acompanhado bastante a Rafa Brites no instagram, e é impossível não se apaixonar pelos textos que ela posta e seu estilo de vida e de maternidade. Aí assim, do nada, pensei: essa peça é pra ELA!

Já viram o quanto a Rafa usa e a abusa de preto e couro sempre com um bom mix básico por baixo?

Ela tem inclusive uma invejável coleção de jaquetas de couro pretas que esses dias postou no instagram dela! AMO demais essa(s) peça(s)!

Pensando então nesse mix de couro, aliado à praticidade de uma peça funcional pra amamentar e claro, usando o bom e velho pretinho básico, saiu o vestido Rafaela!

Aquela peça que te leva a vários lugares e te faz sentir bem vestida em qualquer um deles! Adoro essa versatilidade.

O tecido do vestido é um neoprene bem fininho, super confortável mas que ao mesmo tempo não deixa marcar! Tirando a facilidade pra amamentar com ele, né?

Pra comprar o seu, dá um pulinho aqui na nossa loja online!

 

 

12jun

O que a gente viu sobre maternidade por aí!

 

Dicas de como viajar grávida e com bebê

Dicas ótimas da Thais Fersoza, para viajar com o bebê.. Ela que está grávida do segundinho, o Teodoro, fez um vídeo explicando tim tim por tim tim todos os preparativos antes e durante a viagem. Ela deixa a dúvida pra gente: como será viajar com dois? Dá uma olhada aqui.

 

O use de celular por pais é um prejuízo pra crinaça?

Estamos todos inseridos na cultura digital, mas como lidar? Pra fazer essa análise, os pesquisadores da Universidade de Michigan e da Universidade do Estado de Illinois  levaram em conta questionários respondidos por pais e mães de 170 famílias. Pode ser que a gente não goste muito do resultado da pesquisa, mas vale a pena a reflexão. Dá uma olhada aqui.

 

Como lidar com os palpites durante a gravidez

Aquele momento de agradecer a Revista Crescer pelas gargalhadas da semana! Porque a gente ouve cada coisa quando está grávida, que só por Deus! Vão falar da sua roupa, vão falar do tamanho da barriga, do quanto você engordou ou do quanto você tem que engordar, vão falar do parto….e não para mais. O que você acham dessas respostinha aqui? (hahahah)

 

Dicas de como cuidar dos cachos dos filhos

Samara Felippo que têm cabelo liso, tem duas filhas cacheadas e percebeu no comportamento da filha que representatividade importa. “Alícia mesmo num momento de crise me confessou a pouca representatividade na escola, na sala de aula, nas propagandas, nos brinquedos. É essa nossa sociedade racista. Quero que ela se ame, se aceite e saiba cuidar de seus cachos maravilhosos.” Muito importante ler essa matéria e oportunizar espaços. Veja aqui.

 

Grávida usa cinto de segurança?

O ginecologista e obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein, Dr. Eduardo Zlotnik, foi entrevistado pelo G1 e falou sobre os cuidados na hora de dirigir e deu dicas para quando estiver na direção. Entrevista de ouro! Dá uma lida aqui.

 

Inclusão no comercial da Johnsons

Precisamos dar visibilidade para a diversidade. E também acolhimento para os pais de crianças com deficiência.  A campanha da Johnson & Johnson para o último dia das mães, trouxe um bebê com síndrome de Down para protagonizar o comercial. Isso foi inédito na nossa publiciadade e é só o começo dessa discussão. A trip fez uma matéria incrível sobre isso, que você pode ler aqui.

 

Minha gravidez e a gravidez da minha mãe são parecidas

Depressão pós parto, diabete gestacional e gravidez de gêmeos são recorrentes na mesma família. Já parto prematuro e náuseas é puro mito! Não é porque sua mãe enjoou muito na gravidez dela, você vai enjoar. Mas mesmo assim várias vezes é bom recordar o passado para ver o que pode acontecer com você. Dá uma lida na matéria completa aqui.

 

 

Eliana está em repouso, saiba o que é um descolamento de placenta.

A placenta além de envolver o bebê é responsável por nutrir e fornecer oxigênio a ele pelo cordão umbilical. Quando acontece esses deslocamentos, dependendo do nível, pode haver uma interrupção no fornecimento de nutrientes e oxigênio para a criança. Descolamentos menores podem se tornar grandes, por isso o repouso. Fica paradinha aí Dona Eliana, estamos com você! Leia a matéria aqui.

12jun

Maternidade real e bipolar de todo dia

Você descobre que está grávida e que rufem os tambores: vai começar a maternidade bipolar!

Mal começa a gravidez e já estamos mergulhadas num universo cheio de expectativas, naquele universo incrível que é ser uma mãe maravilhosa sem ter sido mãe ainda (eu falei um pouco sobre isso nesse texto aqui).

Já na gestação começamos a dar indícios de vontades paradoxais! Como é isso? Vem comigo.

Maternidade real e os desejos antagônicos

Primeiro você pensa: quero curtir a gravidez. É muito bom todo o cuidado que circunda uma grávida – saudades fila preferencial! Os presentes pro bebê e até inventar umas desculpas pra comer o que a gente gosta.

Mas aí você pisca o olho já tá pensando: não aguento mais estar grávida! Os enjoos são constantes, as roupas não cabem e os hormônios? Te levam do paraíso ao inferno em segundos. A gente briga no trânsito, chora por tudo e de repente tá gargalhando com uma pessoa que acabou de conhecer no supermercado.

O bebê nasce e nos primeiros meses, você tá lá bem apaixonada pela cria, fica horas e horas olhando para aquela coisa mais linda do mundo que você fez.

Aquele bebezico só dorme e seu segundo pensamento bipolar é:  podia acordar né? Quero interagir um pouco. Conversar e ficar olhando aquele olhinho.

E o bebê acorda.


O bebê não dorme a noite toda e você tá como: porque essa criança não dorme? Queria que ela dormisse (DEUS, nunca te pedi nada!).

meu bebê não dorme

 

Passam quatro meses, acaba a licença maternidade e você volta a trabalhar (para aquelas que trabalham além do trabalho em casa).

A partir daí rotina fica bem puxada, tem as coisas do bebê, introdução alimentar, adaptação em creche,  adaptação às demandas do trabalho e essa lista só cresce, para o infinito e além…

Vai chegando o terceiro pensamentinho: QUERO FÉRIAS!

Você começa a planejar as férias, pensa em lugares bons pra ir com criança pra curtir um pouco, mas descansar também.

Chegou: férias! Tem a rotina matinal da cria, a rotina vespertina e a rotina noturna pra dar conta. E você ainda faz de um tudo pra se divertir junto.

No segundo dia de férias, você já tá querendo voltar pro trabalho. Sabe por que? Porque a cria tá de férias também, então a vida fica naquele ritmo mil grau. Chega o momentinho de curtir as férias e você tá morta no sofá.

Você volta pra sua rotina cansativa de cuidados mil com o filhote e quer que passe rápido pra poder descansar e fazer suas coisas todas que estão acumuladas.

Aí você percebe numa coisa simples que seu filho não é mais um bebê e que tudo passa muito rápido. O pensamento infalível: queria que tivesse passado mais devagar.

São tantos sentimentos contraditórios que quem tá do nosso lado e não tá acompanhando, dá uma enlouquecidinha.

E vou até arriscar dizer que deve ser por isso que muitos amigos somem: as mães furam na última hora, tão sempre cansadas (amigos, entendam que as vezes tô maquiada e prontinha pra sair, vou olhar o instagram e de repente, dormi!).

Acho que vai ser assim pra sempre! Tô rindo, mas tô chorando.

 

IMPORTANTE: não vamos romantizar o transtorno bipolar. É bem sério! Por definição, é uma forma de mudança brusca de humor e um tanto agressiva também. Em um momento a pessoa que sofre dessa doença está eufórica e em seguida passa por uma fase de depressão, inibição e lentidão de raciocínio.