14fev

Maternidade: Expectativa x Realidade

Ah, saudade de quando minha única preocupação com a maternidade era educar meu filho.

Como assim? Você não educa mais?

Ah, a saudade era de quando eu educava e ele nem tinha nascido!

Sim. Eu educava antes mesmo de saber que queria teria um filho. Duvido que tô sozinha nessa. Bate aqui se tu tá nessa loucura comigo.

Quantas vezes a gente educou uma criança na imaginação e deu super certo?

E confesso, era facinho facinho, mamão com açúcar.

Eu sou ótima pra educar assim. Sempre sei a coisa certa a dizer. (Pelo menos nos ensaios no chuveiro eu sempre sou ótima!)

É cada situação que eu tiro de letra. (ironia modo on)

Nossa, como sou sensata e capaz de oferecer uma excelente e equilibrada educação. (Digo pra mim mesma, num ensaio sobre uma possível crise que ainda não aconteceu e que, logicamente, eu contornei muito bem)

Mas como aquelas mães deixam as crianças ficarem naquela folga toda?

AH, POIS É!

A maternidade é um eterno jogo de expectativa x realidade.

Tem algumas coisas que a gente precisa falar!

 

  • Amamentação

Meu filho vai mamar só no peito. Meu sonho é amamentar. É tão natural isso.

Essa é, talvez, a primeira frustração. Não é tão natural assim, e dói. As vezes sangra e racha. Tem gente que consegue e gente que não consegue. E tá tudo bem.

O que importa é alimentar o bebê e dar o seu melhor!

 

  • Os brinquedos

“Quando meu filho nascer, ele só vai ter brinquedos educativos. Televisão só mais velho e ipad nem pensar! “(dou risada só de lembrar disso!)

Daí você monta um quarto montessoriano, tem lugar para os brinquedos todos (um brinquedo mais fofo que o outro). Daí que ele fica dois minutos com cada brinquedo e larga (ou resolve passar horas com uma garrafa pet. sustentável!)

Sua casa vira um campo minado de lego (é cada pisada de pé que nois dá! dói no fundo da alma!)

 

  • Rotina

Meu filho vai dormir a noite inteira. É só seguir a rotina certinho que ele vai ser calmo e não dar trabalho. Os pais exageram um pouco falando que os filhos não dormem, devem estar fazendo alguma coisa errada!

Aham, e eu também não tenho olheiras eternas. A criança não é um robô. De fato rotina ajuda, mas não é assim tão milagroso. Tem criança que não dorme mesmo! (e azar o meu, e o seu, e o de quem mais for sorteado na roleta russa do sono infantil!)

 

  • Alimentação

“O filho da Ana não come brócolis, isso não vai acontecer com meu bebê. Ele vai comer de tudo e orgânico, claro.”

Daí começa a introdução alimentar e seu filho não gosta de nada, cospe tudo em você, no chão e nas paredes! É cada macarrão que nois dá e eles amam! (hahahahah)

É bom apresentar os legumes e as frutas e te-los sempre no prato, mas forçar não vai levar ninguém a lugar nenhum. Vai oferecendo que uma hora eles vão provar e vão gostar. (mas tem coisa que não tem jeito…)

 

  • Vida social

“Vou manter minha vida social, sair com os amigos, viajar, fazer academia…é só deixar o bebê com a minha mãe, minha sogra, a dinda!”

Daí você tá toda produzida pra sair, é só levar o filho. Bate aquela preguiça de tirar a criança da rotina, porque você já imagina o dia seguinte e sabe que vai ser o cão.

As vezes vale a pena, porque você desliga um pouco dessa rotina cansativa. Encontra com os amigos só pra conversar assuntos de adultos!

Vai ter os dias que você vai querer ficar em casa sim e tudo bem também!

 

  • Dia dia da educação

“Birra, isso é coisa de criança mimada. Meu filho não vai fazer birra nunca!”

TOMA! Tá lá ele jogado no chão do supermercado se debatendo e gritando enfurecidamente! Tá lá ele fazendo birra na cara do pediatra!

Ah, Põe a culpa no sono! haha #quemnunca

Respira fundo que não é a primeira nem a última.

 

  • Desfralde

“Não deve ter segredo, vou colocar um penico no banheiro bem fofo, com tampa, daqueles que tem música. Certeza que ele vai amar.”

Daí ele olha o troço e chora. Você tenta colocar ele ali um pouquinho e o treco parece que tem espinho. Ele sai correndo pela casa e faz xixi por todo canto, inclusive em você!

Conta até dez e limpa tudo. Vai acontecer de novo.

 

  • Convivendo com outros bebês

“É importante ter amigos desde bem pequeno, conviver com outras crianças pra brincar. Eles vão ficar amigos para sempre!”

Daí você chama as amigas mães, que têm filhos com idade parecida e socorro. Eles se mordem, se puxam, disputam o brinquedo, brigam, choram e isso tudo num loop sem fim.

Eles vão brigar muito ainda, mas não desiste, amigo de infância é aquele quentinho no coração.

É minha amiga, em tudo na vida expectativa é furada.

A gente sempre tem uma imaginação muito melhor do que é a realidade.

 

Quando abrimos mão do que a gente imaginou a vida fica leve e passamos a dar belas gargalhadas.
Confesso que tenho crises e crises de riso sozinha lembrando o antes e o depois!

04ago

É possível aumentar a produção de leite materno com a alimentação?

Como aumentar a produção de leite? Quais os alimentos recomendados na amamentação?

Se você está passando (ou já passou) pela amamentação, é bem provável que já tenha pesquisado isso em algum local.

Convidei minha nutróloga, Dra. Isabela David (a mesma do post anterior) pra falar sobre a alimentação da mãe durante a o aleitamento materno. Então o post continua com as palavras ela, claro!

Como aumentar produção de leite materno

***

O primeiro critério da escolha dos alimentos é lembrar que “nem todo alimento saudável, é saudável para você”. O segundo é a variedade alimentar: varie bastante.

No consultório, aplico um índice de variedade alimentar. Quanto aos alimentos considerados “galactagogos”, ou seja, que aumentam a produção de leite, existe muita controvérsia sobre isso. Sou superfã de um mingauzinho de aveia (com ou sem gluten) com morangos e mirtilos no desjejum! É a minha opção favorita! São citados, além da aveia:

–       Canjica

–       Gengibre

–       Macadâmia

–       Amêndoas

–       Gergelim preto

–       Sementes de algodão

–       Mamão verde

–       Alho 

–     Cominho 

–       ervas como fenogrego (Trigonella foenum-graecum), cardo mariano (Silybum marianum) e galega (Gallega officinallis), mas existem algumas restrições no seu uso (é preciso individualizar a prescrição).

Um pouco de intuição geralmente funciona também! (rs) 

Sempre acrescente as folhas verdes escuras, os frutos cítricos, cenouras, leguminosas (como o grão de bico e a lentilha), peixes, ovos, óleo de côco, azeite de olive extravirgem, entre tantas opções alimentares que temos disponíveis! A Weleda, uma empresa que respeito bastante, que segue uma linha antroposófica, tem um produto muito bom, chamado Chá Misto da Mamãe. Existem medicamentos que também aumentam a produção de leite, mas isso deve ser visto apenas com o seu médico, caso seja necessário.

Sobre os líquidos: Muita água. Sem sombra de dúvida, a água mineral e a água de côco são certamente as melhores opções. Um pouco dos sucos naturais de frutas também podem ser usados, mas recomendamos sempre cuidado com a questão calórica e de índice glicêmico. Lembramos que a cafeína pode passar para o leite e agitar o bebê. Cuidado com refrigerantes, cafés e chás ricos em cafeína, como o chá preto e chá verde. Não recomendo a ingestão de álcool durante a amamentação, embora a cerveja preta seja descrita como boa para a produção de leite. Talvez em um frango assado na cerveja! rs..

Também sou a favor da suplementação durante a amamentação (claro, que com acompanhamento médico!).

Em primeiro lugar, o DHA, ou ácido docohexaenoico. Uma gordura muito importante para o desenvolvimento neurocognitivo e visual do bebê. Na realidade, deve-se começar a ingerir pelo menos a partir da segunda metade da gestação. Mas uma fórmula vitamínico-mineral de “amplo espectro” também é muito importante. Isto significa conter a maioria dos nutrientes essenciais (vitaminas A, K, D, E, C, complexo B, cálcio, magnésio, zinco, cromo, manganês, molibdênio, ferro, selênio, entre outros) importantes para a saúde da mãe (a composição do leite materno não muda), para que ela possa manter a amamentação durante, pelo menos, os 6 meses recomendados, desfrutando desta oportunidade tão maravilhosa na vida da mulher! Sistematizar a oferta dos nutrientes através das cápsulas é muito importante!

Cuide-se!

02ago

Dúvidas sobre amamentação

Todo mundo tá (ou pelo menos deveria estar) careca de saber sobre a importância da amamentação e seus benefícios.

Acontece que, nesse processo, nem tudo são flores. Eu mesma passei muita dificuldade (contei neste post aqui).

O desgaste da mãe no início, os reflexos da alimentação no bem estar do bebê, tudo isso exerce influência no psicológico das mulheres durante a amamentação. Por isso é tão importante o preparo e a informação.

Convidei a Dra. Isabela David pra falar sobre amamentação durante a SMAM (Semana Mundial de Aleitamento Materno) e ela trouxe alguns pontos legais sobre o assunto. O texto abaixo é de autoria dela 🙂

amamentacao-roupas

*********

Eu também sou mãe e amamentar os meus filhos foi uma experiência infinitamente prazerosa, enriquecedora e que deixou saudades! Fecho os meus olhos e ainda posso sentir aquelas “coisinhas” pequeninas sugando avidamente, suas mãozinhas fofas repousando em mim num contato íntimo que excluía tudo ao redor: éramos apenas nós, mãe e filho e os laços que nos uniam. Mas vamos lá! Hoje vou falar sobre amamentação. Resolvi escrever na forma de perguntas e respostas. Acho que vão gostar!

1.    O leite materno é o melhor alimento para o bebê? Por quê?

Sim. Ele é tão “perfeito” que a sua composição modifica ao longo dos dias após o nascimento: a concentração de lactose e gordura (em g/dL) aumenta gradativamente e a concentração de proteína diminui. Tudo isso para adequar às necessidades do bebê e promover a melhor adaptação possível à ingestão de nutrientes. Além disso, ele é um alimento “espécie-específico”, ou seja, o leite humano é o melhor para nós, seres humanos, e seus componentes possuem propriedades imunes e moduladoras do crescimento muito superiores a qualquer outro alimento!

2.    A lactação é realmente desgastante para a mãe?

Geralmente sim, mas não dá para separar do desgaste natural associado ao “cuidar” do bebê! Contudo, para produzir 1 litro de leite, a mãe tem um gasto energético médio de 900 cal. Ou seja, ela precisa de 900 calorias a mais dentro de seu planejamento alimentar apenas para a produção do leite. Desta forma, a alimentação da lactante deve ser planejada, adequadamente prescrita por um professional capacitado para que ela consiga manter a sua saúde e a produção de leite para o seu bebê.

3.    Quais os alimentos que geralmente dão mais cólica no bebê?

Esta questão é bem delicada. A primeira questão é “observar, testar” e ter cuidado antes de chegar a conclusões! De maneira geral, leite de vaca,  crucíferos (como brócolis, couve-flor e repolho), feijão, refrigerantes, frutos muito ácidos, tomate e alimentos picantes são descritos, mas, na prática, os resultados são muito variados. Uma dica: é interessante deixar as leguminosas de molho porque reduz a produção de gases e aumenta a digestibilidade. Pode também começar a cozinhar durante 5 minutos e trocar a água mais uma vez. 

 No post de amanhã vamos falar mais a fundo sobre a alimentação da mãe durante a amamentação!
 [aguardem os próximos capítulos, hehe].
Beijos!

 

02ago

Semana Mundial da Amamentação na ASM

A SMAM (Semana mundial de aleitamento materno) acontece de 1 a 7 de agosto.

Discutir e disseminar a importância da amamentação é um dos objetivos da SMAM. Mas na minha opinião, tão importante quanto esclarecer às mães, é ressaltar o direito de amamentar a qualquer hora, em qualquer lugar, para a sociedade em geral.

Infelizmente ainda existe preconceito com mulheres que amamentam em locais públicos. Muitas amigas reclamam de olhares tortos, o que eu vejo como a mais pura ignorância, por isso a informação se faz tão importante. Até mesmo evitam ir a certos lugares por causa do desconforto de amamentar nessa situação. Isso precisa deixar de existir (pra ontem, né?). Impedir qualquer mulher de amamentar é uma vergonha e um retrocesso.

Eu apoio a amamentação, imagino que você também. (E claro, a Agora Sou Mãe! :P)

Por conta disso, nessa semana vamos ter conteúdo de amamentação quase todo dia, por aqui e nas redes sociais.

amamentacao-roupas

E por conta disso, toda a nossa linha de roupas de amamentação está com 10% de desconto, somente essa semana!

Ah, e já aproveito pra te contar: acabou de chegar Pijama e Lingerie de Amamentação!

roupas-de-amamentar

Gostou? Então passa na nossa Loja Online! 🙂

Beijos

 

19jun

Por uma vida mais saudável (e mais magra!)

Meu corpo é teimoso. Ele assumiu um peso que simplesmente não quer baixar mais. Ele tem fé “naquele” número.

E olha que anos atrás (não muitos, juro!), bastava controlar a alimentação durante a semana e pronto! Lá iam embora os malditos quilos todos, junto com aquele culote perigoso, a papada saliente e o bracinho de polenteira. Ui, saudade!

Hoje faço tudo isso simplesmente pra não engordar, mas ainda assim, parece que a balança consegue aumentar de vez em quando (ô injustiça!).

Claro que, por trás disso tudo, tem a questão mais importante: a saúde. Ainda que por pura estética eu não esteja satisfeita, quero ser uma velhinha porreta.

Resolvi então procurar uma profissional pra me ajudar, foi aí que conheci a doutora Isabela David, médica nutróloga que se dedica a engenharia aplicada ao tempo de vida saudável, em outras palavras, a envelhecer com saúde. E claro que, no meu caso, saúde tem tudo a ver com emagrecimento. (uma cajadada, dois coelhos!).

O trabalho consiste em um super mapeamento sobre a minha saúde e um tratamento individualizado, inclusive com orientação alimentar. Estou amando, em outra situação, conto mais pra vocês!

Fiquei tão encantada com o trabalho que convidei a Isabela pra ser parceira do blog, e a partir de agora vocês vão poder contar com alguns textos dela por aqui também.

Confira a primeira coluna! Hoje com uma pequena introdução minha, uma forma de apresentá-la a vocês 🙂

_________________________________________________________________________________________

 

Nem todo alimento saudável é saudável pra você! (por Isabela David)

dieta-saudavel

Hoje estou começando uma coluna no Agora sou mãe. É a minha segunda experiência com uma coluna em um site. Tenho que dizer que a melhor recordação daqueles anos em que escrevia semanalmente para o site da ABRAN são as mensagens carinhosas que recebia de meus “seguidores”, ou seja, aquelas pessoas que gostavam de dividir comigo o prazer da leitura dos meus artigos, o prazer de receberem as informações que eu tão prazerosamente a eles estendia.

Não posso deixar de comentar que gosto muito de lidar com gestantes e lactantes, especialmente as mães de primeira viagem que se sentem pisando em “terras desconhecidas”, quando cada passo tem que ser dado com extremo cuidado. E é verdade: a experiência de ser mãe nos faz mergulhar no significado do “zelo” em uma dimensão que (geralmente) não conhecíamos até então. Uma experiência única. No meu caso, como médica nutróloga, sinto que minhas pacientes gestantes e lactantes depositam em mim a expectativa de lhes assistir nesta caminhada, de estar ao seu lado, tirando as dúvidas que inevitavelmente lhes inquietam. E como não?

Então, para começo da nossa conversa, preciso deixar uma coisa bem clara: quando comentar sobre um determinado alimento, nunca estarei exatamente recomendando que você o ingira. A Medicina Genômica, que foi se constituindo após a conclusão do fantástico Projeto Genoma Humano, concluído em 2003 – projeto internacional que identificou e realizou o sequenciamento de nossos genes – nos coloca muito claramente:

Nem todo alimento considerado saudável, é saudável pra você.

A partir dessa ideia, tenho como intenção nos meus textos:

  • Despertar para a inclusão de determinados alimentos em seu hábito alimentar, desde que você se sinta bem ao consumí-los.
  • Propor determinadas combinações de alimentos que favorecem um melhor equilíbrio metabólico ou o controle do peso
  • Detalhar a adequada oferta de nutrientes para a saúde do feto e do lactente, assim como para a sua saúde

Mas nunca estarei afirmando que algum alimento específico lhe é recomendado. Isto porque, hoje sabemos, toda dieta deve ser individualizada!

De fato, a Medicina Genômica é dita “Mais Personalizada” porque passamos a entender que nossos genes influenciam a nossa resposta à dieta, conhecimento enraizado na ciência conhecida como Nutrigenética, um dos pilares da Nutrição do Século XXI. Além disso, temos as particularidades decorrentes de processos de doença ou desequilíbrios orgânicos, como a disbiose intestinal e as intolerâncias alimentares adquiridas.

Espero contribuir da melhor forma possível para que todas as gestantes e lactantes que acompanham o Agora sou mãe desfrutem de uma alimentação que contribua para a saúde de seus filhos ao longo da vida, uma vez que a alimentação correta nestas fases de desenvolvimento deste novo ser em formação repercute até mesmo na fase adulta, estando estreitamente vinculada à escolha “correta” dos alimentos.

Dra. Isabela David

Nutrologia Preventina

Contato: isabela.nutre@gmail.com

 

26jan

Regata para amamentar com seu estilo!

O pouco tempo que vivenciei a amamentação foi o suficiente pra perceber que existe uma dificuldade mundial: encontrar roupas pra amamentar.

Claro que várias peças a gente consegue adaptar (santos botões e aberturas frontais das blusas nunca tiveram tanto valor!)

Mas sempre tem aquela hora crítica: uma blusa que a gente ama e quer usar a todo custo, mas que pra amamentar, tem que levantar a dita cuja e mostrar a barriguitcha que não sabe, nem de perto, o que é um tanquinho (a não ser o das roupinhas do bebê! kkk). A típica blusa bonitinha, mas ordinária. Zero funcional, zero parceira nas horas delicadas, mas ainda assim, linda e a nossa cara!

(breve pausa: se você é daquelas que sai da maternidade direto pra sapucaí, esse post não se dirige à sua pessoa :P)

Pensando nessas roupas, as que seriam deixadas de lado no período da amamentação, criamos a Regata Freedom!

blusa-sem-alca-amamentarEla nada mais é do que uma underwear pau-pra-toda-obra. Uma blusa pra amamentar praticamente sem alça, onde você prende a argolinha do próprio tecido no seu sutiã de amamentação e pronto! Tá livre pra usar qualquer peça de roupa por cima, te deixando mais à vontade pra amamentar.

 

No vídeo abaixo mostra certinho como ela funciona! Dá um PLAY!

Separei também depoimentos de duas amigas blogueiras sobre a Regata Freedom!

Mari Lindoso do Turma da Tia Mari.

“Finalmente pensaram nas mães que amamentam! Sempre falei por aqui o quanto é difícil achar roupas pra amamentar né? Então estou usando Minhas blusas normais para sair (…) Vou mostrar essa camiseta massa pra usar por baixo das blusas comuns.

Ela prende no Sutiã de amamentar e quando levantamos a blusa não mostra aquele acessório que adquirimos após a gestação #OBuxinho

regata-amamentacao-depoimento

E a Aninha do Look Bebê!

“Ela vem com uma alcinha pra prender na alça do sutiã e assim amamentar com mais tranquilidade sem ficar com a barriga de fora (com blusas que não dá pra abaixar no decote). No dia a dia eu até levanto sem “grilo” e escondo com o braço, mas como hoje vou viajar e almoçar em restaurante com a família nada melhor do que ficar a vontade.”

regata-amamentacao-freedom

Elas postaram nos seus Instagrams (marcados nas fotos) e deram depoimento sobre o produto!

Preciso dizer o quanto eu amei?

Ah, e pra conhecer mais opções de roupas de amamentação, é só entrar na nossa loja online e ficar à vontade pra comprar :P!

Beijos!

Bia