14jul

O inverno e a gripe

Ah, o inverno! Como eu gosto dele. Vinho, foundue, pijamão e coberta no sofá o dia todo! Saidinhas românticas, séries em dia. Ah, isso tudo é tão bom!

Peraí, tem algo faltando nesse treco (e muita coisa “sobrando” no parágrafo acima). Voltemos então ao mundo real.

Xixi na cama, nariz ranhento, alergias, calça curta, blusa curta, todo dia uma nova “peste”. É gripe pra lá, resfriado pra cá! Xô, urucubaca.

Dudu-gripado

Êta inverno. Pensando bem, vai demorar muito pra ir embora?

Verdade seja dita: o in-verno pode ser um in-ferno. Pelo menos pra quem tem filhos pequenos.

Volta e meia o Dudu tem aqueles ataques de tosse, nariz entupido. E já viu como sempre piora à noite? Essa semana mesmo, tá todo mundo bichado aqui em casa, inclusive ele (mesmo com a vacina da gripe e cuidados em dia)!

Como prevenção, tento redobrar os cuidados com alimentação e higiene nessa época. Dou bastante vitamina C (principalmente em forma de morango, laranja e limão), e aquela boa e velha recomendação de lavar sempre as mãos e evitar lugares fechados.

Mas escrevo esse post pra contar uma novidade pra vocês: o Benegrip lançou uma versão pediátrica, o Benegrip Multi, que pode ser utilizado a partir dos 2 anos e tem paracetamol como o analgésico e antitérmico, ativo indicado pelo Ministério da Saúde em casos de suspeita de dengue, zika e chikungunya*.

É um antigripal líquido sabor frutas vermelhas, o que facilita já que as crianças tem dificuldade para engolir comprimidos.

Além disso, ele age em todos os sintomas: dor, febre e nariz entupido (em um só produto). Um alívio!

Ah, Sempre leia a bula e consulte seu pediatra!

post-patrocinado

*Referência Bibliográfica: Brasil. MS-SVS. Dengue: diagnóstico e manejo clínico-adulto e criança. Brasília, 2013. Brasil. MS-SVS. Febre de chikungunya: manejo clínico. Brasília, 2015. Brasil. MS-SVS. Febre do zika vírus: manejo clinico. Disponível em:  http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/dengue_manejo_adulto_crianca__4ed_2011.pdf. Acesso em 01 abr. 2015. Benegrip Multi: Paracetamol 13,30 mg/mL, cloridrato de fenilefrina 0,33mg/mL e maleato de carbinoxamina 0,13mg/mL. MS 1.7817.0768. Indicações: Analgésico e antitérmico. Descongestionante nasal em processos de vias aeres superiores. Benegrip Multi é um medicamento. Durante o uso, não dirija veículos ou opere máquinas, pois sua agilidade e atenção podem estar prejudicadas . Julho/2016. COSMED S/A. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO

24abr

Dia mundial da meningite

Meningite_Crianca_Final

24 horas.

Esse é o tempo necessário para a meningite se manifestar e colocar em risco a vida de um bebê, criança ou adulto. Quando não é fatal, a doença tem grandes chances de deixar sequelas para uma vida toda.

A cada ano, cerca de 1 milhão de pessoas são atingidas pela meningite, que tem rápida ação e difícil diagnóstico.

Hoje, dia 24 de abril, é o Dia Mundial da Meningite. 28 países e inúmeros parceiros espalhados pelo mundo estão unidos para conscientizar a população da complexidade dessa doença e importância da vacinação como principal forma de prevenção. Falando nisso, você já vacinou seu filho?

Como parceira da campanha #VençaaMeningite, não poderia deixar de compartilhar histórias de vida de dois atletas que, apesar das severas sequelas deixadas pela doença, são motivo de orgulho e superação e vão representar nosso país esse ano.

Tive o prazer de conhecê-los no evento de abertura da campanha.

Como mãe, é impossível não se emocionar ainda mais.

 

O site Casa de Vacinas informa local mais próximo de você para vacinar seu filho.

Neste post aqui, você também encontra mais informações.

 

#gsk, #meufuturocampeao, #juntoscontramenengite e #vençaameningite

post-patrocinado

21mar

Os perigos da meningite

No último dia 3 estive em São Paulo para participar do lançamento de uma campanha nacional de conscientização dos riscos da meningite, Vença a Meningite, do laboratório GSK. O meu papel é espalhar para o maior número de pais e mães dados reais sobre essa doença, que pode chegar a 40% de letalidade em alguns casos.

Os personagens “reais” dessa campanha são cinco atletas paralímpicos que contraíram a doença meningocócica na infância. Conhecemos um pouco de suas histórias de vida, de suas famílias, da luta e vitória sobre essa doença de rápida evolução e difícil diagnóstico.

Eles são um exemplo de superação, verdadeiros guerreiros!

A fotógrafa Anne Geddes com os atletas: Ivanilde, Suelen, Jhulia, Andrey e Filippe.
A fotógrafa Anne Geddes com os atletas: Ivanilde (basquete), Suelen (corrida), Jhulia (corrida), Andrey (natação) e Filippe (goalball).

Além dos atletas, conheci duas grandes fotógrafas. Anne Geddes (a famosa precursora dos ensaios newborn fofos no mundo!) e a brasileira Simone Silverio, referência em ensaio newborn e gestante, que fotografou nossos atletas paralímpicos.

Anne Geddes é embaixadora mundial da conscientização sobre os riscos da doença meningocócica. 15 crianças atingidas pela doença, de todas as partes do mundo, foram clicadas pelas lentes da fotógrafa, que nos apresentou esse trabalho contando a história de cada uma delas. Foi um momento de muita comoção e reflexão sobre os valores da vida. Confesso que fiquei tensa, achei as cenas fortes, porém bonitas. Foi impossível conter as lágrimas.

Unidos contra a meningite!
Unidos contra a meningite!

Foi um evento muito rico em informação, vou passar algumas delas pra vocês:

  • 36% dos casos de meningite são causados por bactérias (doença meningocócica), 43% virais, e os outros 21% são ainda de origem não descoberta.
  • A prevenção consiste em manter hábitos de higiene adequados: lavar as mãos com frequência e manter o ambiente ventilado. Além da vacinação que protege da meningite bacteriana (tipos A, B, C, W e Y).
  • A meningite é transmitida principalmente pelo contato direto com gotículas respiratórias através de contato com a saliva, principalmente tosse e espirro. Ainda que seja possível a transmissão através do compartilhamento de talheres e copos, o meningococo resiste pouco tempo ao ambiente externo.
  • A letalidade da doença meningocócica pode ocorrer entre 10 e 20% dos casos, mesmo com diagnóstico precoce e tratamento adequado. Sem tratamento, a mortalidade supera 50% dos casos.
  • A meningite tipo B é a que mais mata em todo o mundo.
  • A faixa etária com maior risco de letalidade é entre 0 e 2 anos de idade.
  • O evolução da doença meningocócica é muito rápida. O óbito pode ocorrer 24 horas após o aparecimento dos primeiros sintomas. Por isso é tão importante que a pessoa afetada pela doença seja diagnosticada e atendida com urgência, ainda nas primeiras horas.
  • Os sintomas são muitas vezes confundidos com o de uma gripe ou qualquer outra virose. Febre alta, dor de cabeça e prostração aparecem nas primeiras 4 horas. Após esse período, começa a rigidez da nuca e até manchas pelo corpo. Os pais devem levar a criança imediatamente ao pronto socorro para o tratamento adequado. É uma verdadeira corrida contra o tempo.
  • A faixa etária da população transmissora das meningites causadas por bactérias é mais abrangente do que a faixa etária da população dos afetados gravemente (normalmente crianças). Jovens são o maior grupo transmissor da doença meningocócica. Por isso a prevenção deveria acontecer também na população transmissora, que porta a bactéria mas não é afetada pela doença.
  • Na região Sul há uma maior incidência de infecções pelo meningococo do tipo W quando comparada as demais regiões do país.

 

Eu particularmente ainda não vacinei o Eduardo com a vacina Meningocócica ACWY. Tinha até entrado na lista de espera e, quando me chamaram, estava na praia, então foi aquela enrolação e acabei deixando pra lá. Como soube que aqui no sul há maior incidência do tipo W, decidi que vou vaciná-lo o quanto antes.

 

post-patrocinado

17mar

Beijo de mãe

Uma topada no dedão,

aquele amigo que meteu um beliscão,

joelho ralado pelo escorregão.

 

Caiu de queixo no chão,

passou o braço no muro de raspão,

Uma quina safada que entrou de bicão.

 

Ah, relaxa! Tudo machucadinho leve…

Dá bola não!

 

E nisso tudo, quem cuida do coração?

Porque sim, é pura frustração!

Brincadeira interrompida por um inconveniente machucado

e pior, de sopetão!

 

Mas quer saber?

Caiu levanta, chora não!

É melhor aprender a se virar sozinho.

 

Pensando bem,

que mal há em um carinho?

Pra fazer você sarar.

Pra (me) fazer sarar.

 

Este post foi um oferecimento de BETACARE™

BETACARE™ é um antisséptico para ferimentos leves que oferece tripla proteção: elimina bactérias, fungos e vírus. Além de não arder, age rapidamente e mostra enquanto está agindo: quando a cor laranja sumir da pele, é hora de reaplicar.

Recomendado para crianças maiores de 2 anos.

 

Betacare™ – Iodopolividona 10%. MEDICAMENTO DE NOTIFICAÇÃO SIMPLIFICADA RDC

Anvisa Nº 199/2006 AFE Nº 1.00210-4. Indicação: antisséptico de uso tópico. “TODO

MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DE CRIANÇAS.” “SE PERSISTIREM

OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.” BETACARE™ É UM MEDICAMENTO.

SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA.
(Informações da bula estão impressas no cartucho.) Fabricado e notificado por: Laboratório
Tayuyna. Atendimento ao Consumidor ADV: 0800 134345. Material Código: Anúncio_PM_
Machucado. Data de impressão: Outubro/2015. (1) Monografia do produto. (2) Handbook of
Topical Antimicrobials: Industrial Applications in Consumer Products and Pharmaceuticals, By
Daryl S. Paulson, Page 79. (3) Postgrad Med J (1993) 69 (Supp!. 3), S78-S83 – Action of
povidone-iodine against methic illin-sensitive and-resistant cultures of Staphylococcus aureus
– RW, Lacey and A Catto – Department of Microbiology, university of Leeds, Leedes Ls2 9Jt. *Em  comparação ao álcool. Betacare™ é uma marca comercial. ADV

 

post-patrocinado

13out

Esportes e atividades extras para crianças

Eu sempre tive dúvidas sobre quantas e quais atividades complementares e esportes colocar o Dudu. Uns recomendam colocar em muitos, outros em apenas um. Fui no meu feeling e na aceitação do meu filho, jamais obrigaria ele a fazer algo que não estivesse agradando. Ele é um menino super ativo e vive em apartamento, então senti necessidade de botar o guri pra sacodir.

Aqui em casa a gente sempre quis incentivar o esporte. O pai é louco por futebol e eu, embora com a destreza de um bambi, adoro me movimentar e praticar atividades. Tá, ando preguiçosa feito um coala, mas é fase, vai passar, eu sei. (oremos)

esportes-atividades-crianças

Dudu vai pra escola a tarde e desde o início do ano faz judô, também na escolinha. Ele adora. E eu também, já que ganho uma horinha extra todas as segundas e quartas ao final do “ixpidiente” escolar. Tipo ouro, né?

Além disso, no início desse ano coloquei na natação, por conta da respiração e porque aprender a nadar é importantíssimo na idade deles. Dei uma pausa no meio do ano por causa do frio e agora voltamos, duas vezes na semana, pela manhã. São 45 minutinhos e ele faz com quase todos os amiguinhos da sala dele, eles brincam bastante e gastam muita energia. E eu, de quebra, aproveito pra ficar no elíptico. A academia é bem simples, pago baratinho e ainda consigo ficar assistindo ele nadar.

Pensei que tivesse parado por aí. E ja tá ótimo pro gasto (em todos os sentidos!).

Até que meu amado pai resolveu dar um presente de dia das crianças pro Dudu: uma raquete de tênis. Presentinho de grego, digamos, porque além de ter que arrumar lugar pra ele brincar, vou matricular ele na escolinha do Guga (que é ótima, mas a mensalidade é mais cara que a raquete. valeu pai).

Tô reclamando de boba, porque sempre quis colocar ele no tênis, mas tinha me programado pro ano que vem. Já até fiz aula uma vez #agorasousharapova. Mas vou sentir a febre e se ficar pesado, tiro um dia da natação. E claro, ver se ele vai gostar (o que tenho praticamente certeza).

No cenário atual teremos: segundas e quartas judô final do dia, terças e quintas natação pela manhã (mamis malha junto) e sexta escolinha do Guga (que começa semana que vem!)

Ah, sou a favor de uma certa ociosidade nas crianças. Nunca pensei em ocupar todos os dias da semana com atividades. Gosto que ele fique em casa sem muito compromisso, acho realmente importante que ele acorde com calma, sente no sofá pra ver TV e brinque no quartinho dele pelas manhãs. Claro que eu entendo que muitas pessoas precisam colocar os filhos em período integral, e se eu não tivesse a Marli (que cuida não só dele, mas da família toda também, hehe) com certeza Dudu estaria num ritmo diferente. Amava meus dias ociosos (que na verdade nunca eram) quando criança.

A gente tem mania de querer enfiar o nosso filho em tudo que é coisa. Muita gente me cobra do inglês, algo que eu realmente não me preocupo por enquanto. Aqui em casa a gente fala inglês (inclusive usamos como recurso pra poder “dobrar” ele quando precisamos), a curiosidade dele é nata e sei que é algo que vem fluindo naturalmente, não vejo necessidade de aulinha (extra, pois já tem na escola) .

Uma ressalva: nenhuma das aulinhas (exceto o judô, por sua filosofia) tem uma cobrança por disciplina, é tudo muito brincadeira, ele não sente naquilo uma obrigação. Na natação, por exemplo, ele praticamente brinca na piscina, e acho que assim que tem que ser. Na escolinha de tênis, fiquei bem preocupada com a conduta e metodologia (ainda não fiz aula experimental mas aviso a quem tiver interessada depois), mas o que me foi passado é na idade dele eles fazem mais brincadeiras e trabalham muito o lado lúdico. Tenho ótimas referências e acredito ser assim mesmo.

Tem que ter cara de brincadeira e ser prazerosa!

Por enquanto é isso! Finalzinho do ano tiro ele de tudo e vamos curtir umas férias, ufas.

04ago

Agosto dourado e os benefícios da amamentação

Você pode imaginar que só porque eu não consegui amamentar eu não apoie a amamentação. Não é verdade.

Amamentar é difícil no início sim. Eu insisti por mais de um mês e, no meu caso não deu certo. Pra entender melhor, leia esse post onde conto minha experiência com a amamentação. Isso não significa que com você será assim. E comigo no futuro também. Espero amamentar meu próximo filho (ainda não encomendado, calmaê!) e que eu tenha uma experiência tranquila ao amamentar, o que infelizmente não vivenciei.

agosto-dourado

Não poderia deixar passar em branco aqui no blog o Agosto Dourado, mês dedicado exclusivamente à importância da amamentação. Em Floripa, a Hora do Mamaço aconteceu no último sábado, dia 01/08 no parque de Coqueiros, mas o movimento acontece paralelamente em várias cidades do Brasil.  A ideia é reforçar a importância do aleitamento materno para toda a sociedade, alertando empresas e pessoas que lidam com as mães que amamentam (ou seja, o mundo!), além das próprias mães, é claro.

Pra entender melhor os reais benefícios da amamentação, recomendo um post muito bem escrito pela minha amiga Shirley, do blog Macetes de Mãe. LEIA AQUI.

E só pra lembrar, caso você esgote as tentativas e não consiga, jamais se culpe por não amamentar. Hoje eu não ficaria tão abalada e compartilhei minha (não tão boa) experiência única e exclusivamente pra vocês não se sentirem assim! Porque juro, culpa é tempo perdido. Vai beijar o cangote do neném que é a melhor coisa que tem. (rima brega desmoralizou o post, foi mais forte que eu)

Um beijo!

Bia