19jun

Endometriose X disfunção sexual: o que tem a ver o útero com a calça?

O corpo da mulher ainda é um mistério sendo descoberto aos poucos. O prazer feminino, por exemplo, só começou a ser discutido depois da década de 70.

 

O que fazer com os sintomas da endometriose? 

Pasmem minha gente, mas tem gente descobrindo o clítoris agora, em 2017!

Tá, mas o que a endometriose tem a ver com isso?

De acordo com o estudo feito pela Dra. Flávia Fairbanks mulheres com endometriose têm mais que o dobro de disfunções sexuais em relação àquelas que não têm a doença.

Isso pode ser revelador pra muita gente. E com a revelação vem a dúvida: o que é endometriose?

O endométrio é o tecido que reveste a parte interna do útero e que todo mês fica mais espesso. É nesse tecidinho bendito que o óvulo fecundado se instala e começa a gravidez.

Se não tem gravidez, é o endométrio que descama e pra alegria de algumas e a tristeza de outras, a menstruação desce.

Daí que em algumas mulheres acontece um refluxo da menstruação, escapando um pouco pelas trompas. Então, células parecidas com o endométrio, começam a acumular fora da cavidade uterina.

 

O que é endometriose?

Gente, essa doença atinge tantas mulheres que precisamos muito dessas pesquisas.

Alguns sintomas que você pode observar no seu corpo são: cólica menstrual fora do período da menstruação (no meio do ciclo ou durante todo o ciclo), dor nas relações sexuais, principalmente descritas na profundidade, infertilidade e alterações do ritmo intestinal e da urina na época da menstruação.

Imagina como fica a vida sexual de uma mulher com esses desconfortos todos? Um horror, claro.

Por isso que é importante a pesquisa sobre a doença. Sempre que se pesquisa sobre algum assunto os avanços no diagnóstico e no tratamento são imensos. Então, obrigada a Dra. Flávia Fairbanks por avançar nesse assunto que pode ser mais um passo para tratar esse transtorno que aflige milhares de mulheres.

A pesquisa da Dra. Flávia, ginecologista do Hospital das Clínicas da USP, estima que 10% da população feminina apresentam essa doença e, quando são estudadas populações específicas de mulheres com dor pélvica ou infertilidade, a prevalência pode atingir até 47% dos casos.

Como ficar grávida com endometriose?

É possível diagnosticar a endometriose através de alguns exames como: ultrassonografia transvaginal e ressonância magnética. Entre outros exames complementares que podem ser pedidos também.

Mesmo sendo uma doença benigna, ainda não se sabe a causa da doença, por isso também não existem informações para preveni-la.

Descobri pelo site gineco.com.br que existem dois tipos de tratamento.

1- Tratamento cirúrgico por laparoscopia:

Dessa forma, a endometriose é removida e em alguns casos, é possível eliminar só os focos da doença ou as complicações que ela traz – como cistos, por exemplo.

2- Tratamento com medicamentos:

A alopatia é extensa então existem diversos medicamentos disponíveis para tratar a endometriose. No site também diz que é possível reduzir os sintomas utilizando o DIU com levonorgestrel.

Quem tem endometriose e quer engravidar, saiba que é possível. Converse com o seu médico. =)

 

É importante também saber que ainda não existe cura para a endometriose. Os tratamentos aliviam as dores e amenizam os sintomas todos.

O que as mulheres podem fazer para manter a saúde em dia é consultar regularmente o ginecologista.

Não sofra sozinha, mesmo ainda não tendo uma cura, os sintomas podem ser aliviados, as dores todas podem ser amenizadas e a vida sexual reativada!

 

Deixe um comentário