27mar

5 peças para usar antes, durante e depois da gravidez


Sim, porque sim! Queremos
roupas que durem para sempre (exageraaaaaada)!

 

Quando ficamos grávidas tudo acontece tão rápido. Passa 3 meses e suas calças começam a não fechar e mesmo que fechem, fica um pouco desconfortável na cintura.

 

Ou seja, passa 3 meses e você não consegue mais usar um terço do seu guarda roupa. Passa 5 meses e mais um monte de roupa fica pra escanteio.

 

No final da gestação então, não vou nem comentar!

 

Mas será que não tem um jeito de aproveitar algumas roupas e comprar umas coringonas também para usar depois?

 

Dá, sempre dá!

 

Claro que nem todas as peças você vai conseguir adaptar, mas tem algumas que sim, são usáveis antes, durante e depois da gestação.

 

Separei aqui as indispensáveis para usar sempre e arrasar nos looks.

 

1- Camiseta branca

 

Essa é aquela peça que é fundamental. São suuuper confortáveis e podem ser usadas em diversos ambientes. E outra, essa peça serve para qualquer estilo.

 

Tem uns modelos com zíper no ombro, que são incrivelmente perfeitas para amamentação (o/). Dá uma olhada aqui.

 

Você pode dar um nozinho e marcar a barriga ou colocar uma pontinha dentro da saia, short ou que você estiver usando.

Camiseta para um look descolado

Qualquer combinação torna-se perfeita para o prático, básico, confortável e estiloso que tanto queremos antes, durante e depois da gravidez.

 

2- Chapéu Panamá

 

Não poderia acabar esse post sem falar dos chapéus. Divosos! Combinam com tudo e ainda dão aquele ar elegantérrimo!

 

O Panamá é o meu favorito!

 

Além de uma ótima opção para evitar as temidas manchas na pele, mais fáceis de aparecer na gestação, o chapéu é o acessório mais phyno dessa lista.
Moda para todas

Tá de short? De vestido? Saia? Calça? Vá de Panamá!

 

Se você não gosta desse modelo, não tem problema. Chapéu é sempre chapéu e sempre um arraso.

 

3 – Calça Legging

 

Essa é a peça mais clássica no guarda-roupa de qualquer grávida mulher.

 

Durante a gravidez ela é quase unanimidade no corpo, porque é confortável e fica ótima para muitas ocasiões.

 

Além de caber em todos os tamanhos de barriga!

 

Hoje em dia essa peça já não tem mais cara de “to indo pra academia” e dá pra fazer diversos looks com sobreposições.
Usando legging de um jeito estiloso

Essa calça vai andar sozinha!

 

4 – Colete e Poncho

Estratégicos, os coletes vão ser os melhores amigos na sua gravidez.

 

Com uma peça monocromática, o colete vai ser a terceira peça ideal pra afinar a silhueta e projetar a barriga pra frente. (que grávida não quer?)

O milagroso efeito do colete em grávidas

Milagroso!

 

Já os ponchos servem pra te dar aquele conforto e deixar o look interessante.

 

Dependendo da sua ousadia, você pode arrasar quarteirão com essa peça.

 

 

5 – Vestido camisetão

 

Super confortáveis esses vestidos são ótimos pra dar aquele ar desencanado e ao mesmo tempo cool.

 

Pode dar aquele quê de esportista descolado, mas de verdade o que vai deixar seu look mais interessante e com mais personalidade é a maneira como você vai conseguir reinventá-lo.

 

É preciso usar a criatividade, compondo com outras estampas, cores e acessórios que tenham a sua cara.
Conheça as peças indispensáveis para gestantes estilosas

Listrado ou liso esse vestido fica lindo com cinto para marcar a barriga, com jaqueta amarrada na cintura, colete e até kimono.

 

Além dessas peças tem aqueles kits mágicos que te ajudam a usar as suas peças queridinhas.

 

Na loja criamos alguns kits básicos de sobrevivência para quem está grávida e também para quem está amamentando. Dá uma olhada aqui

 

É preciso exercer a criatividade, reciclar, adaptar, treinar o olhar e inventar composições suas. E descobrir um pouco quem você é, porque não?
É um pouco assustador, mas é também emocionante!

19jul

O que a saia lápis faz para uma gestante.

Toda gestante passa trabalho pra escolher roupa! E é super natural, afinal a dúvida do que vestir reina todos os dias nas melhores famílias (imagina com uma barriga extra então!).

Apostar em peças coringa na gravidez, como uma boa saia lápis (ou saia midi) preta, vai te economizar muito tempo na hora de escolher a roupa e garantir que o estilo chegue como um príncipe no cavalo branco, mesmo naqueles dias em que nada parece ficar bom. Aquela peça que tá sempre na moda e serve pra qualquer ocasião. Prática, como a maternidade pede. (e um caso de amor, acredite!)

A saia preta vai com tudo! Justinha pra deixar a barriga em evidência, mas cheia de conforto. Fica linda com tênis, maravilhosa com salto, sandália, bota, enfim. Tudo o que a gente quiser inventar. O que eu mais amo nessa peça é que, trocando a blusa e os acessórios você tem um look completamente novo. Sabe aquela roupa básica que dá pra usar por uma semana seguida e ninguém se dá conta? Pois é, a saia coringona preta tem essa super qualidade!

 

saia-lapis-gestante saia-lapis-gravida saia-midi-justa-gestante

Essas foram algumas inspirações de como usar a saia lápis preta durante a gravidez, tiradas lá do nosso instagram @agorasoumae!

Na gravidez a mulher precisa adaptar seu guarda-roupas. Pra deixar de lado roupas que eram xodó e ainda assim manter o estilo com o barrigão, a dica é acrescentar boas peças coringa, daquelas roupas que são usadas inclusive depois da gestação.

saia-lapis-midi-gestante

Esse look fica lindo também nas “não grávidas”. A Greice, nossa modelo, fotografou durante e depois da gravidez com a mesma peça! Ah, a nossa saia tem um drapeado lateral que modela e não marca o corpo, além de deixar tudo mais confortável!
comprar-saia-lapis-gestante

A segunda sugestão com a nossa saia preta coringona é um look daqueles “parece vestido, mas não é!”. Amo essa combinação e a ideia de “decompor e transformar o vestido” em milhões de outros vestidos muito me agrada! E um salve para o milagre da multiplicação dos looks na gravidez!

saia-preta-gravida-look-estilosa comprar-saia-preta-gestanteOlha o detalhe da nossa saia aí gente!

O que eu mais amo nessa peça é que a altura dela pode ser tranquilamente regulável, basta subir o cós e encontrar a altura e o comprimento que você tá mais afim naquele dia. (versátil, outra vez!).

saia-preta-gestante-basica

Pra finalizar, uma parte do depoimento da nossa amiga e cliente Aninha Masi, do Lookbebe!

saia-preta-basica-gestante

Resumindo, essa saia é pra amar… ou amar!

Compre pela nossa loja virtual de roupas para gestantes (e não gestantes, e lactantes, e quem mais quiser, pode chegar! :P)

19jun

Por uma vida mais saudável (e mais magra!)

Meu corpo é teimoso. Ele assumiu um peso que simplesmente não quer baixar mais. Ele tem fé “naquele” número.

E olha que anos atrás (não muitos, juro!), bastava controlar a alimentação durante a semana e pronto! Lá iam embora os malditos quilos todos, junto com aquele culote perigoso, a papada saliente e o bracinho de polenteira. Ui, saudade!

Hoje faço tudo isso simplesmente pra não engordar, mas ainda assim, parece que a balança consegue aumentar de vez em quando (ô injustiça!).

Claro que, por trás disso tudo, tem a questão mais importante: a saúde. Ainda que por pura estética eu não esteja satisfeita, quero ser uma velhinha porreta.

Resolvi então procurar uma profissional pra me ajudar, foi aí que conheci a doutora Isabela David, médica nutróloga que se dedica a engenharia aplicada ao tempo de vida saudável, em outras palavras, a envelhecer com saúde. E claro que, no meu caso, saúde tem tudo a ver com emagrecimento. (uma cajadada, dois coelhos!).

O trabalho consiste em um super mapeamento sobre a minha saúde e um tratamento individualizado, inclusive com orientação alimentar. Estou amando, em outra situação, conto mais pra vocês!

Fiquei tão encantada com o trabalho que convidei a Isabela pra ser parceira do blog, e a partir de agora vocês vão poder contar com alguns textos dela por aqui também.

Confira a primeira coluna! Hoje com uma pequena introdução minha, uma forma de apresentá-la a vocês 🙂

_________________________________________________________________________________________

 

Nem todo alimento saudável é saudável pra você! (por Isabela David)

dieta-saudavel

Hoje estou começando uma coluna no Agora sou mãe. É a minha segunda experiência com uma coluna em um site. Tenho que dizer que a melhor recordação daqueles anos em que escrevia semanalmente para o site da ABRAN são as mensagens carinhosas que recebia de meus “seguidores”, ou seja, aquelas pessoas que gostavam de dividir comigo o prazer da leitura dos meus artigos, o prazer de receberem as informações que eu tão prazerosamente a eles estendia.

Não posso deixar de comentar que gosto muito de lidar com gestantes e lactantes, especialmente as mães de primeira viagem que se sentem pisando em “terras desconhecidas”, quando cada passo tem que ser dado com extremo cuidado. E é verdade: a experiência de ser mãe nos faz mergulhar no significado do “zelo” em uma dimensão que (geralmente) não conhecíamos até então. Uma experiência única. No meu caso, como médica nutróloga, sinto que minhas pacientes gestantes e lactantes depositam em mim a expectativa de lhes assistir nesta caminhada, de estar ao seu lado, tirando as dúvidas que inevitavelmente lhes inquietam. E como não?

Então, para começo da nossa conversa, preciso deixar uma coisa bem clara: quando comentar sobre um determinado alimento, nunca estarei exatamente recomendando que você o ingira. A Medicina Genômica, que foi se constituindo após a conclusão do fantástico Projeto Genoma Humano, concluído em 2003 – projeto internacional que identificou e realizou o sequenciamento de nossos genes – nos coloca muito claramente:

Nem todo alimento considerado saudável, é saudável pra você.

A partir dessa ideia, tenho como intenção nos meus textos:

  • Despertar para a inclusão de determinados alimentos em seu hábito alimentar, desde que você se sinta bem ao consumí-los.
  • Propor determinadas combinações de alimentos que favorecem um melhor equilíbrio metabólico ou o controle do peso
  • Detalhar a adequada oferta de nutrientes para a saúde do feto e do lactente, assim como para a sua saúde

Mas nunca estarei afirmando que algum alimento específico lhe é recomendado. Isto porque, hoje sabemos, toda dieta deve ser individualizada!

De fato, a Medicina Genômica é dita “Mais Personalizada” porque passamos a entender que nossos genes influenciam a nossa resposta à dieta, conhecimento enraizado na ciência conhecida como Nutrigenética, um dos pilares da Nutrição do Século XXI. Além disso, temos as particularidades decorrentes de processos de doença ou desequilíbrios orgânicos, como a disbiose intestinal e as intolerâncias alimentares adquiridas.

Espero contribuir da melhor forma possível para que todas as gestantes e lactantes que acompanham o Agora sou mãe desfrutem de uma alimentação que contribua para a saúde de seus filhos ao longo da vida, uma vez que a alimentação correta nestas fases de desenvolvimento deste novo ser em formação repercute até mesmo na fase adulta, estando estreitamente vinculada à escolha “correta” dos alimentos.

Dra. Isabela David

Nutrologia Preventina

Contato: isabela.nutre@gmail.com

 

07mar

A Síndrome da Supermulher

Eu odeio a supermulher!

Ela é algo inatingível. Um estereótipo que até pode ter sido criado pra inspirar e dizer: “Sim, você é capaz de tudo!”. Concordo. E parou por aí.

Super-mulher

Sou capaz de tudo. Somos capazes de tudo!

Mas quem disse que precisa ser tudo ao mesmo tempo? E quem disse que a gente tem que fazer de tudo, só porque é capaz?

Quando vejo um comercial de TV mostrando o quanto é legal ser essa mulher multidisciplinar, bem sucedida e feliz em todos os aspectos da sua vida – e nessa época tá cheio deles, tenho a vaga sensação de que executar todas as tarefas com êxito tem o mesmo resultado de assoviar e chupar cana ao mesmo tempo. É humanamente impossível não pecar em algum lado, nem que seja na nossa sanidade.

Aquela doida varrida tentando equilibrar todos os lados da sua vida, afogada em um turbilhão de tarefas. E faz questão de resolver tudo sozinha. Quem disse que isso é legal?

Super mãe, super mulher, super esposa, super dona-de-casa, super profissional.

… Super louca!

A questão é aqui é matemática. E a conta não fecha. O dia tem só 24 horas pra encaixar tantos superpoderes.

Sabe qual o resultado da síndrome da supermulher?

Super culpa. Super frustração.

Tudo bem se você teve que trabalhar e ficou longe do seu filho. Tudo bem se você ficou com seu filho e foi uma profissional meia boca, ou nem sequer foi uma. Tudo bem se você não consegue ir na academia. Tudo bem se sua casa anda uma bagunça porque você preferiu ver um filme. Tudo bem se você não fez sexo só pra agradar seu marido naquela noite. Tudo bem! Desde que esteja bem resolvida com você.

Lutamos tanto pela igualdade dos direitos lá fora, mas esquecemos que dentro de casa também precisa ser assim. Não temos a obrigação de dar conta de tudo! Dividir a carga é essencial.

Eu não dou conta de tudo! E quer saber? Tá tudo bem.

Feliz dia da mulher!

Bia.

 

26fev

Zika Vírus: 7 coisas que você precisa saber

É praticamente impossível falar de gravidez sem falar de Zika. O vírus foi declarado pela OMS como uma emergência global.

Ainda que não existam estudos conclusivos sobre as consequência do Zika Vírus, compartilho com vocês as perguntas mais frequentes sobre o vírus transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti, respondidas por um especialista.

gestante-zika

Como detectar o vírus?

Existem dois tipos de teste. Um deles é o PCR, que pesquisa fragmentos do vírus na circulação, na urina ou no líquido amniótico. No sangue, fica até cinco dias e na urina, até 15. A precisão é muito alta, mas, se o vírus não estiver circulante, não aponta nada. Ou seja, se a infecção tiver acabado esse teste não dará o diagnóstico. As sorologias também conseguem identificar os anticorpos contra o vírus das classes IgM e IgG, que poderiam ser usados com intervalos bem maiores após a infecção. Porém, o teste tem muita reação cruzada com outros vírus, como Dengue e Febre Amarela, o que diminui sua precisão.

 

O vírus na mãe infecta o bebê?

A infecção de mãe para filho é uma questão que ainda está sendo esclarecida pelos pesquisadores. O que se sabe até agora é que aparentemente o vírus atravessa a placenta e chega à circulação do bebê. Dependendo do período de formação e desenvolvimento do sistema nervoso causará diferentes lesões. A mais preocupante delas é a microcefalia, que parece estar relacionada à infecção pelo vírus da Zika no primeiro trimestre.

 

Toda grávida infectadas terá um bebê com microcefalia?

Vários médicos do nosso grupo são também pesquisadores de outras universidades e da Fiocruz, todos eles estão empenhados em responder estas perguntas através da pesquisa científica, mas nada de conclusivo até o momento. Vale ressaltar que nem todas as gestantes que foram infectadas pelo Zika terão problemas com os seus bebês, parece que o comprometimento fetal tem relação com a idade gestacional que infecção ocorreu. 
E se o bebê nascer com microcefalia?

Neste momento os bebês estão sendo acompanhados de forma bastante atenta pelos nossos especialistas. Os que apresentam complicações graves como a microcefalia dependerão de maior atenção da equipe médica. Os que aparentemente não apresentam sintomas ao nascimento estão sendo acompanhados (previsão de até os três anos de idade) para identificar possíveis problemas que possam aparecer mais tarde.
Quero engravidar, e agora?

No Brasil 50% das gestações não são planejadas, portanto pouca coisa é feita antes da gravidez na maioria dos casos. As recomendações são:

1) Proteção pessoal: uso de repelente, roupas que cubram o corpo e evitar a exposição em regiões de maior registro de casos da doença;

2) Proteção da população: combate ao mosquito transmissor;

3) Evitar a disseminação a partir dos infectados: uso de repelentes e outras formas de proteção aos que estão doentes, para impedir que o mosquito se contamine e dissemine a infecção para outras pessoas.
Já estou grávida, o que fazer?

Use mangas compridas e calças, e sapatos fechados; usar repelente a cada duas horas; prefera locais com ar-condicionado, pois o ar frio dificulta a proliferação do mosquito Aedes Aegypt; verifique diariamente os vasos e suportes em casa para ver se tem água parada; coloque telas nas janelas e use pulseiras feitas à base de citronela.

Como está a situação no Brasil?

O Ministério da Saúde do Brasil tem relatado mais de 3.800 casos de microcefalia. A microcefalia aumentou em pelo menos quatro vezes desde que a infecção pelo Zika vírus apareceu. No site do Ministério da Saúde do Brasil estes dados são atualizados mensalmente, mas os números são muito preocupantes.

Fonte: Dr. Renato Sá – Chefe do setor de obstetrícia e medicina fetal do Grupo Perinatal e diretor do Centro de Diagnósticos da Maternidade Perinatal.

26jan

Regata para amamentar com seu estilo!

O pouco tempo que vivenciei a amamentação foi o suficiente pra perceber que existe uma dificuldade mundial: encontrar roupas pra amamentar.

Claro que várias peças a gente consegue adaptar (santos botões e aberturas frontais das blusas nunca tiveram tanto valor!)

Mas sempre tem aquela hora crítica: uma blusa que a gente ama e quer usar a todo custo, mas que pra amamentar, tem que levantar a dita cuja e mostrar a barriguitcha que não sabe, nem de perto, o que é um tanquinho (a não ser o das roupinhas do bebê! kkk). A típica blusa bonitinha, mas ordinária. Zero funcional, zero parceira nas horas delicadas, mas ainda assim, linda e a nossa cara!

(breve pausa: se você é daquelas que sai da maternidade direto pra sapucaí, esse post não se dirige à sua pessoa :P)

Pensando nessas roupas, as que seriam deixadas de lado no período da amamentação, criamos a Regata Freedom!

blusa-sem-alca-amamentarEla nada mais é do que uma underwear pau-pra-toda-obra. Uma blusa pra amamentar praticamente sem alça, onde você prende a argolinha do próprio tecido no seu sutiã de amamentação e pronto! Tá livre pra usar qualquer peça de roupa por cima, te deixando mais à vontade pra amamentar.

 

No vídeo abaixo mostra certinho como ela funciona! Dá um PLAY!

Separei também depoimentos de duas amigas blogueiras sobre a Regata Freedom!

Mari Lindoso do Turma da Tia Mari.

“Finalmente pensaram nas mães que amamentam! Sempre falei por aqui o quanto é difícil achar roupas pra amamentar né? Então estou usando Minhas blusas normais para sair (…) Vou mostrar essa camiseta massa pra usar por baixo das blusas comuns.

Ela prende no Sutiã de amamentar e quando levantamos a blusa não mostra aquele acessório que adquirimos após a gestação #OBuxinho

regata-amamentacao-depoimento

E a Aninha do Look Bebê!

“Ela vem com uma alcinha pra prender na alça do sutiã e assim amamentar com mais tranquilidade sem ficar com a barriga de fora (com blusas que não dá pra abaixar no decote). No dia a dia eu até levanto sem “grilo” e escondo com o braço, mas como hoje vou viajar e almoçar em restaurante com a família nada melhor do que ficar a vontade.”

regata-amamentacao-freedom

Elas postaram nos seus Instagrams (marcados nas fotos) e deram depoimento sobre o produto!

Preciso dizer o quanto eu amei?

Ah, e pra conhecer mais opções de roupas de amamentação, é só entrar na nossa loja online e ficar à vontade pra comprar :P!

Beijos!

Bia