01dez

Dicas sobre amamentação, uso de mamadeiras e chupetas.

Hoje trago um post bem explicativo sobre amamentação e suas alternativas, escrito por uma fonoaudióloga da Clínica Renove, nossa parceira.

dicas-gerais-amamentação

Importância da Amamentação:

O ato de sugar nasce com o bebê e é um reflexo de alimentação, pois visa a ingestão de leite materno, ideal para o recém-nascido. Além disso, o exercício desempenhado pelo bebê no ato de sugar o seio materno colabora para que a sua musculatura orofacial desenvolva-se de forma mais adequada, possibilitando força e tônus mais aptos a desempenhar as funções de sucção, deglutição e, posteriormente, a mastigação e a fonação, além de contribuir também para a respiração nasal.

É importante a observação de posição do bebê durante a amamentação, uma vez que esteja mal posicionado, pode acarretar inflamações no ouvido (otites), trazendo desconforto para o bebê.

A postura para alimentar seu bebê é muito importante. A criança nunca deve estar deitada. Nesta posição há o deslocamento do leite para o ouvido através da tuba auditiva (que na criança é mais curta e horizontal), ocasionando otites freqüentes. Esta posição facilita também o regurgitar da criança pois a musculatura que forma o esôfago e o estômago ainda são imaturas, e torna-se mais difícil realizar sua função. Deve-se então alimentar o bebê inclinado aproximadamente 45 graus e após a alimentação deve-se deixar o bebê deitado para o lado direito e com a cabeça mais inclinada para cima, favorecendo o escoamento gástrico.

 

Mamadeiras e chupetas:

Se por algum motivo não acontecer o aleitamento materno, sugere-se às mães que optem por bicos de mamadeiras que mais assemelhem-se ao seio materno. As mamadeiras comuns tem o bico muito longo e, algumas vezes, muito largo

Quando o bico e o furo da mamadeira são inadequados, o bebê realiza somente a primeira fase da amamentação, que é a ingestão de leite, faltando a segunda fase, na qual o bebê fortalece os músculos da face, estimula a produção do leite, estabelece o vínculo com a mãe e sacia sua necessidade de sucção.

O furo do bico da mamadeira nunca deve ser aumentado pois agrava os prejuízos da amamentação artificial e incoordenação na sucção-deglutição-respiração. Além disso, o bebê não está acostumado a grandes quantidades de leite em pouco tempo, proporcionando cólicas, engasgos e até vômitos. O ideal é que virando-se a mamadeira ela apenas goteje.

Criticada por alguns e defendida por outros, a chupeta não chega a ser um vilão, quando usada racionalmente. Mas, quando usada por períodos prolongados, poderá deixar seqüelas no bebê, como mal posicionamento dentário, desvio no crescimento dos maxilares e alteração na deglutição, mastigação, respiração e fala.

Dar preferência sempre a chupetas e mamadeiras com bicos ortodônticos do tamanho adequado para a idade do bebê. Tanto a chupeta quanto o bico da mamadeira devem ser trocados assim que detectadas rachaduras e manchas brancas e por motivos de higiene.

 

Fonoaudióloga: Angela Bernardino Battistotti

CRFa: 8683/SC

Especialista em Motricidade Orofacial

BANNER 690 X 90

 

 

21nov

Quando é a hora de tirar a chupeta? (5 passos para eliminar o uso)

Eu não tenho nada contra chupeta. Sei que muita gente tem e respeito os motivos, mas durante os 2 anos e 2 meses que o Dudu usou, todos nós ficamos felizes e em paz, confesso. Ele costuma usar pra dormir ou quando senta no sofá pra ver TV. Na rua, a chupeta é a minha aliada quando está choroso ou impaciente querendo ir embora, aí o prazo dele se estende por mais uns 30 minutos.

Acontece que todo esse “conforto” tem um preço a pagar, e que só aparece quando é a hora de tirar a chupeta. Eu sabia disso desde o início, que esse dia chegaria e que não estava muito longe.

fim-da-chupeta

Semana passada levei Dudu ao pediatra e ele comentou que o palato estava ficando deformado por conta da chupeta. Eu já tinha notado mesmo que ele andava um pouco dentucinho. Foi aí que decidimos dar um basta. Mas lógico que esse basta não pode ser de uma hora pra outra. A criança precisa aprender a lidar com as frustrações e essa é apenas uma das milhares que terá na vida, mas eliminar radicalmente seria traumático e não é a melhor forma de fazer com que isso aconteça.

Defini uma meta: até o natal quero tirar a chupeta. Tracei alguns passos pra que isso aconteça da forma menos pior possível. Gradativamente vou realizando, até chegar o grande desfecho, onde vai entregar a chupeta pro Papai Noel em troca de um presente.

Passo 1: Converse! Expliquei que o Dudu já é menino grande não vai mais precisar dela, que o papai não usa chupeta, a mamãe não usa, alguns amiguinhos maiores também não. Avisei que por enquanto poderia usar pra dormir, mas depois vamos tirar de vez. 

Passo 2 (estou aqui!): Chupeta só pra dormir! Acabou na rua, acabou pra ver TV. Gente, vou dizer que foi punk! Ontem de manhã a choradeira rolou solta por uns 30 minutos. Depois de ser vencido pelo cansaço, ele parece ter entendido, à tarde não levei o bico pra escola e à noite viu TV sem pedir, hoje cedo a mesma coisa, já não pediu pra ver TV. Quero só ver à noite.

Passo 3: Furinho! Faça um pequeno furo nas chupetas do seu filho com uma tesoura, pode ser que perca o interesse naturalmente. Mas sem que ele veja! 

Passo 4: Dá pro Noel! O bom e velho clichê de entregar a chupeta pro Papai Noel com certeza ajuda. Já expliquei pro Dudu que pra ganhar presente vai precisar dar o dedê pro velhinho. Ele parece ter entendido, pois saiu repetindo: O Dudu vai ganhá pesente se dá dedê po Papai Noel.”

Passo 5: Desapega! Pegue todas as chupetas da casa, faça um belo embrulho e dê pro Papai Noel, jogue tudo fora. Força na peruca porque uma hora a birra vai passar. 

E haja coragem pra ir pros próximos passos. Mas terei! 

E vocês? Já passaram por essa fase? Como conseguiram? Contem suas dicas! 

Beijinhos

Bia