30jan

10 destinos para passar a Babymoon

Depois que o filho nasce, um casal vira um trio (ou quarteto, quinteto e orquestra sinfônica com direito a agudos de dar inveja, né!) e por mais que a gente  tente driblar é difícil ter momentos românticos de casal apaixonado nos primeiros meses (claro que planejando dá, sempre dá, TEM QUE DAR).  

Pensando nisso, alguns casais têm feito a babymoon. Sabe o que é?

 

Assim que o casal descobre que a família vai aumentar, prepara uma viagem para curtir um pouco só os dois.

Dá pra descansar e guardar forças para as infinitas novidades com a chegada da cria. Alguns casais aproveitam para fazer o enxoval do bebê.

Tem outros que preferem curtir os serviços especializados de alguns hotéis, como massagens, banhos especiais e jantares românticos na praia (suspiros de riqueza).

Conheça os hotéis que oferecem babymoon

Outra coisa importante é o lugar.

Fiz uma lista com 10 resorts pelo mundo que oferecem serviços especiais para Babymoon (muito PHYNO):

Mezzatorre Resort e Spa 

Fica em uma ilha na Itália no Mar Mediterrâneo. Eles fazem um pacote  especial para as viagens de babymoon, incluindo um quarto duplo com vista para o mar, kit de boas-vindas com flores, frutas frescas e bebidas saudáveis. Além de tratamentos como esfoliação massagem e banho turco, também para o maridão. Tudo isso sai por 1115 euros por pessoa, mas o valor pode variar dependendo da época do ano.

Rosen Shingle Creek 

Este hotel fica em Orlando – EUA, e no pacote oferece um quarto VIP com um presentinho para os futuros pais, tratamentos no spa, além do jantar romântico nos restaurantes do hotel. Esse pacote tá em média 720 dólares por casal para uma noite. Daí você pensa em tudo que pode comprar com esse valor, senta e chora. haha.

The Lanesborough Hotel 

Esse hotel é a cara da realeza! No pacote babymoon, quando o casal chega no hotel são logo recebidos com coquetéis (sem álcool) e uma deliciosa seleção de chocolates (GENTEEE). Além dos tratamentinhos, o hotel ainda disponibiliza um guia do bebê com os melhores “outfitters” de Londres, perto da cidade de Knightsbridge, onde fica o hotel. Disponível para as sextas, sábados e domingos o pacote custa a partir de 615 libras.

Breezes Bahamas 

Diretamente do mar de Nassau, nas Bahammas (não preciso dizer mais nada). Além do que os outros hotéis oferecem para babymoon, esse oferece travesseiros extras para as futuras mamães (é muito amor). Com uma estadia mínima de três noites no pacote Babymoon, o valor cobrado é de 200 dólares a diária. Até agora o mais simpático pro bolsito, né não?

Ponta dos Ganchos Exclusive Resort 

Oferece um bangalô ao casal, com café da manhã e jacuzzi no quarto (!!!). E além das massagens e de um presentinho para a mamãe e o bebê, o hotel oferece ao casal um jantar romântico, numa ilhazinha bem em frente. Três noites nesse paraíso (sério, vejam as fotos no site do hotel) a partir de 6.185 reais, o valor vai depender da data por conta da temporada. Uma observação chique: Beyoncé escolheu o hotel quando veio ao Brasil (então pensa no luxo!).

UXUA Casa Hotel e Spa 

Em Trancoso na Bahia, o que esse hotel tem de diferente dos outros, são os produtos que usam nos tratamentos. Todos feitos a mão, com ingredientes nativos (quero!). O valor para cinco noites sai em média 13 mil reais (vou ficar querendo!). Em um pacote como esse os valores vão depender também da época do ano, vale conferir no site. Detalhe básico: A Jessica Alba fez a piscina da sua casa em Los Angeles inspirada na desse hotel!

Sunset Jamaica Grande 

Na jamaica, já imaginou? Esse hotel além de ter a maior praia da região, oferece para o casal que está na babymoon um ensaio fotográfico. No pacote as diárias variam de 250 a 300 dólares por noite.

Sofitel 

A rede Sofitel também oferece pacotes de babymoon com tratamentos especiais e sessões de yoga. O valor vai depender de qual destino você escolher, porque essa rede tem hotel no mundo todo!

 

Mandarin Oriental NY 

Em Nova York minha gente, uma ótima opção para fazer também o enxoval porque fica bem no meio da cidade. Tem SPA e tudo mais na faixa de mil dólares a noite. Pra quem curte uma vibe cosmopolita, é uma ótima pedida.

Royal Palms Resort e Spa 

Aos pés da montanha Camelback no Arizona, o hotel tem um pacote que inclui charuto e conhaque para o maridão e uma massagem pré-natal pra você. O casal também ganha uma sessão de fotos, ou seja, não se preocupa com nada. O pacote para a babymoon sai 660 dólares o dia com o código promocional: BabyBliss.

Muitas celebrities ficaram em alguns desses hotéis, é um verdadeiro luxo!

Pacotes especiais para babymoon
Processed with VSCO with hb2 preset

A verdade é que a babymoon ainda não é praticada por muitos hoteis, porque é ainda pouco conhecida. Mas claro que, mesmo sem usar o nome comercial chic, quem faz a babymoon é a gente, do jeito que nosso gosto e bolso permitir!

Bora usar a criatividade e montar nossa própria babymoon!

O mais importante mesmo é que seja tranquilo (afinal tem uma GRÁVIDA no rolê) e que seja um momento para se guardar boas lembranças a dois.

Depois de olhar esses hotéis dá vontade de ficar grávida só pra fazer uma babymoon (hahahaha).

Ah, e só pra lembrar, antes da viagem é bom se certificar com o obstetra se tá tudo bem, se as vacinas estão em dia e se não vai atrapalhar o pré natal.

Importante também pensar no período da viagem, pra você não se cansar muito com o peso extra do barrigon.

E claro, a mala recheada de roupas confortáveis e versáteis, pra você não levar muito peso e ter espaço para as compras (SIM, QUEREMOS). Ah, e passa na nossa loja online. Tá cheio de looks perfeitos pras grávidas em babymoon. =)

16jan

Nome do seu filho: 5 coisas pra pensar ANTES de escolher!

É engraçado como todo mundo pensa junto e acaba escolhendo os mesmos nomes para os bebês, né? Mas isso não é por acaso, na verdade nos inspiramos naquilo que está ao nosso redor: filmes, livros, músicas artistas e por aí vai. 

Na lista dos nomes mais populares de 2016 estão em primeiro lugar Alice e Miguel, outra vez. Sim, esses nomes também estiveram no topo de nomes mais usados em 2015, de acordo com a pesquisa de nomes do Baby Center.

Escolher nome de filho é dureza, minha gente. Um bom começo são os critérios de eliminação:

Não é legal ser o nome do ex, porque imagina a situation (daí você se pergunta porque não namorou apenas Sidscleysons e Whandersons).

Nome DA EX não dá nem pra pensar direito (parece que automaticamente quando alguém fala  dá um tilt na gente).

Ah, o nome daquela colega mala parece que carrega a chatisse nele, melhor não arriscar. (vai que, né?)

Depois de riscar a imensa lista dos nomes que seu filho NÃO teria por infinitas razões (e olha que normalmente ela é grande e sempre tem coisa boa nela, né?), separei algumas dicas e critérios pra te ajudar na hora da escolha:

       Nomes POP TENDÊNCIA TOP FIVE

Pensa como era a sua chamada da escola, tinha sempre uns amigos com o mesmo nome. Nos tempos de hoje, quando chamar Alice umas três vão responder “Presente”, ou quando for escolher o e-mail e…“nome de usuário já existente, sugestão Alice533689”. Nenhum grande problema, eu sei. A não ser que você se importe com isso.

      Jacinto Pinto = Vamos pensar no sobrenome também?

E se o sobrenome for também comum aqui no Brasil, como Silva, Oliveira, Santos? Escolher um nome comum, nesse caso, pode dificultar a vida da pessoinha. Prepare seu filho para ser confundido (SEMPRE), e também a ser conhecido pelo sobrenome “Ô Santos, responde pra mim quem foi Pedro Álvares Cabral?!”.

–       Filosofe, pense no significado do nome

Acho que todo mundo faz isso, mas não custa reforçar (porque né, imagina  o nome que significa “aquele que vive sofrendo”). Então, dá uma olhadinha nos significados dos nomes que você escolheu, esse pode ser um fator decisivo.

      Pode soletrar? A Grafia também é importante

Avalie também a grafia, porque deve ser horrível ter que soletrar o nome toda vez que alguém pergunta. E claro, nos apelidos que poderiam surgir do nome. 

      Teste o nome gritando ele por aí (use com moderação)

Bom, pode parecer estranho, mas funciona. Fizemos em casa uma lista de alguns possíveis nomes, daí comecei a grita-los pela casa “Julieta, vem comer!”, “Antônio, não pode subir na estante menino!”. É engraçado, mas pensa que você vai chamar esse nome por toda uma vida e alguém vai ouvi-lo por toda uma vida também, então você precisa gostar de dizer. Ah! Promete que vai fazer isso só em casa?

No mais, boa sorte e aceita sua escolha porque na adolescência provavelmente seu filho vai reclamar do nome que você escolheu! 😛

Ah, e se quiser acessar a lista dos 100 nomes mais populares de 2016, achei aqui!

 

02ago

Dúvidas sobre amamentação

Todo mundo tá (ou pelo menos deveria estar) careca de saber sobre a importância da amamentação e seus benefícios.

Acontece que, nesse processo, nem tudo são flores. Eu mesma passei muita dificuldade (contei neste post aqui).

O desgaste da mãe no início, os reflexos da alimentação no bem estar do bebê, tudo isso exerce influência no psicológico das mulheres durante a amamentação. Por isso é tão importante o preparo e a informação.

Convidei a Dra. Isabela David pra falar sobre amamentação durante a SMAM (Semana Mundial de Aleitamento Materno) e ela trouxe alguns pontos legais sobre o assunto. O texto abaixo é de autoria dela 🙂

amamentacao-roupas

*********

Eu também sou mãe e amamentar os meus filhos foi uma experiência infinitamente prazerosa, enriquecedora e que deixou saudades! Fecho os meus olhos e ainda posso sentir aquelas “coisinhas” pequeninas sugando avidamente, suas mãozinhas fofas repousando em mim num contato íntimo que excluía tudo ao redor: éramos apenas nós, mãe e filho e os laços que nos uniam. Mas vamos lá! Hoje vou falar sobre amamentação. Resolvi escrever na forma de perguntas e respostas. Acho que vão gostar!

1.    O leite materno é o melhor alimento para o bebê? Por quê?

Sim. Ele é tão “perfeito” que a sua composição modifica ao longo dos dias após o nascimento: a concentração de lactose e gordura (em g/dL) aumenta gradativamente e a concentração de proteína diminui. Tudo isso para adequar às necessidades do bebê e promover a melhor adaptação possível à ingestão de nutrientes. Além disso, ele é um alimento “espécie-específico”, ou seja, o leite humano é o melhor para nós, seres humanos, e seus componentes possuem propriedades imunes e moduladoras do crescimento muito superiores a qualquer outro alimento!

2.    A lactação é realmente desgastante para a mãe?

Geralmente sim, mas não dá para separar do desgaste natural associado ao “cuidar” do bebê! Contudo, para produzir 1 litro de leite, a mãe tem um gasto energético médio de 900 cal. Ou seja, ela precisa de 900 calorias a mais dentro de seu planejamento alimentar apenas para a produção do leite. Desta forma, a alimentação da lactante deve ser planejada, adequadamente prescrita por um professional capacitado para que ela consiga manter a sua saúde e a produção de leite para o seu bebê.

3.    Quais os alimentos que geralmente dão mais cólica no bebê?

Esta questão é bem delicada. A primeira questão é “observar, testar” e ter cuidado antes de chegar a conclusões! De maneira geral, leite de vaca,  crucíferos (como brócolis, couve-flor e repolho), feijão, refrigerantes, frutos muito ácidos, tomate e alimentos picantes são descritos, mas, na prática, os resultados são muito variados. Uma dica: é interessante deixar as leguminosas de molho porque reduz a produção de gases e aumenta a digestibilidade. Pode também começar a cozinhar durante 5 minutos e trocar a água mais uma vez. 

 No post de amanhã vamos falar mais a fundo sobre a alimentação da mãe durante a amamentação!
 [aguardem os próximos capítulos, hehe].
Beijos!

 

27jun

Fim de semana em Gramado

A trapo family resolveu fazer um pit stop em Gramado no último fim de semana. Fomos de carro, aproximadamente 5 horas de viagem daqui de Floripa.

Foi super (gordo) divertido.

Postei algumas coisas lá no instagram (@biamendesbs) e no snapchat, mas vou deixar aqui o registro do que fizemos, com minha humilde opinião.

Hotel: Laje de Pedra em Canela

Segunda vez que nos hospedamos. Super recomendo, ótimo custo benefício. Espaço kids e recreadores maravilhosos. Quarto amplo e arejado, estrutura pra crianças. O hotel tem o personagem “Capitão Quati” que simplesmente encantou o Eduardo. Domingo agendamos para o quati acordar o Dudu direto no quarto, eles escovaram os dentes juntos, foi muito legal. Café da manhã com bastante opção de frutas pras crias.

hotel-gramado-criancas
vista do quarto

hotel-gramado-criancas

Chegamos sexta à tarde, Dudu curtiu um pouco a brinquedoteca e fomos jantar.

Le Chalet de La Fondue

Escolhemos a seqüência tradicional de foundue (129 por pessoa, criança não paga). Eduardo estreante não decepcionou. Exceto quando, esfomeado, espetou uma carne crua e passou na farofa, no maior sashimi style, e ia metendo direto pra boca. Como ninguém tem maturidade, saímos de lá e tomamos um Eno (menos o Dudu, que teve que lidar sozinho com a comilança na barriga).

Sábado pela manhã, depois do café, fomos pro SnowLand.

Dentes chocolatosos na neve!
Dentes chocolatosos na neve!

Considerações: Não achei que o passeio valeu (que fique bem claro, no nosso caso). As atrações como Ski e patins no gelo eram pra maiores de 6 anos e Dudu ficou de fora. Logo, a gente também não fez. O parque estava super lotado, pegamos bastante fila. Eduardo foi em um escorregador de neve (bem fraquinho, diga-se de passagem) e vimos o monstro da neve. Tomamos chocolate quente e fomos embora. Acho válido quando é pra mostrar a neve pros pequenos, ou pra levar os grandinhos pra aprender a esquiar ou patinar. Uma dica pra quem vai: levem luvas impermeáveis. O parque oferece luvas de algodão que, uma vez na neve, sempre vão te congelar.

Pausa pra um almoço no tradicional Galeto da Mamma (senhor, ajude!) e voltamos pro hotel pra dar aquela descansada enquanto Dudu brincava.

 

Espertinha que sou, me dei um vale SPA e fui fazer uma massagem!

Logo mais, saímos pra jantar (quero é novidade). A verdade é que a gente já estava estupefato de massa e foundue e, pra quebrar, fomos em um restaurante de comida asiática: o Galangal. 

Apenas o melhor sushi que comi na vida (juro!). E entramos sem nenhuma indicação. Tinha opção de prato kids com arroz, feijão e carne. Ali sentamos, ali comemos. Sugestão: Combinado do Chef + Ebi Fry. NHAM.

Domingo foi dia de ser acordado pelo Quati! O ponto alto da viagem pro Eduardo.

escovando os dentes com o quati!
escovando os dentes com o quati!

Escolhemos visitar o Mini Mundo e a Fábrica de chocolates da Caracol, ainda pela manhã. Já o almoço fico devendo o nome do restaurante, era um bistrô bem charmosinho num shopping e escolhi sopa no pão. 🙂

mini-mundo-gramado

Obs: acabamos optando por não ir na Florybal e no parque dos dinossauros. Mas foi super bem recomendado pelas meninas no meu instagram.

Ah, queria ter colocado mais fotos (e de melhor qualidade), mas meu celular deu um certo treco! Perdoa, a intenção foi boa. 🙂

beijos!

 

 

26fev

Diário de viagem: New York (parte 2)

Continuando o post anterior!

Vale lembrar que chegamos a pegar a temperatura a-my-ga de 20 graus negativos (meeenos vinte!). Então a gente precisou pegar leve nos passeios externos. Sem falar que pensávamos duas, três ou dez vezes antes de entrar em uma loja, por causa da função de tirar e botar casaco/gorro/cachecol/luva na gente e no Dudu. As lojas são muito quentes, em algumas ficava só de segunda pele mesmo.

Bom, vou contar em tópicos porque é extenso, então quem quiser vai direto ao ponto, porque #soudessas.

Hotel

Ficamos no Belvedere, como resolvemos ir pra NY de última hora (a princípio a gente ia ficar só na Florida) estava tudo caríssimo. Gostei da localização – Broadway com Times Square e a estrutura do quarto era boa, além do hotel ser bonito. Como ponto negativo, o aquecimento do quarto não estava 100%, mas reclamei e eles foram arrumar prontamente, colocaram um aquecedor móvel extra. Além disso o chuveiro era meia boca. Nem ótimo, nem péssimo. Ainda assim, pelo custo benefício e bom atendimento, me hospedaria novamente.

freezing-nyc

hotel-nova-york
Vista da nossa janela do Hotel

 

Passeios que fizemos:

Museu de História Natural

Muito legal e interessante pra quem gosta de dinossauros, animais e, como o próprio nome diz, história natural. Amei a sessão de pedras e meteoritos, mas os dinos são o hit do museu. Depois dali, fomos comer no Shake Shack, hamburger muito bom e preço amigo!

Central Park

Fomos meramente pra tirar fotos depois do museu, pois o dia que escolhemos foi o dito cujo, aquele que precisava entrar num freezer pra se esquentar. Repara nossa expressão de conforto com a situação.

central-park

Patinar no gelo no Bryant Park

Uma amiga muito New Yorker deu a dica da patinação no Bryant, além de não cobrarem pra patinar – e somente pelo aluguel dos patins – é um local menos turístico do que as pistas do Central Park e do Rockefeller Center, mas com uma liiiiinda vista pra Biblioteca Pública e um som ambiente no estilo New York, New York de Frank Sinatra enquanto você patina. Eu, Tiago e Dudu gastamos 70 dólares. Dudu pegou um pinguim auxiliar por 20 dólares e dispensou o bicho nos primeiros 5 minutos, ô dó! O legal dessa pista é que não tem limite de tempo. Voltamos caminhando pro hotel nesse dia, pois o frio tinha dado uma pequena trégua. Arrisco dizer que foi o que Dudu mais gostou de fazer!

patinar-no-gelo-bryant-park

Loja da Lego da 5a Avenida

As lojas da Lego são um verdadeiro parque. Sempre tem a área pras crianças montarem seus legos e brincarem, o que torna a visita um bom passeio pra criançada. Infelizmente não conseguimos visitar nenhuma loja da 5a avenida por causa do frio. Então foi do taxi pra loja, da loja pro hotel. Ah, minto! Dei uma fugidinha pra passar na Godiva e tomar o melhor chocolate quente da vida!

lego-quinta-avenida

Passeando pela Times Square

Ficamos muito tempo na loja da M&M`s, pertinho do nosso hotel. Dudu tava maravilhado com a loja e adorou montar seu próprio pacote de M&M`s. Acabamos não entrando muito nas outras lojas da Times por conta do tira e põe da casacada. Pensa na função de fazer Dudu colocar luva, gorro, cachecol e casaco a cada entrada/saída! Ótima maneira de economizar!

loja-mms-times-square

Caminhando pelo Soho

O Soho é definitavemente meu bairro preferido de NY. Na próxima vez, quero me hospedar lá. Dessa vez a gente deu uma tímida caminhada no início do bairro e voltamos pro hotel antes de congelar. Pegamos metrô uma única vez e foi nesse dia, todos os outros dias encaramos o trânsito no táxi. Tudo por causa do mardito frio (olha ele aí de novo gente!!).

Neve!

A neve, por si só, foi uma atração pro Dudu. Dos 4 dias que ficamos em NY, pegamos um dia de neve intensa. Compramos uma capa pro carrinho e caminhamos pelas ruazinhas sem rumo por quase um dia inteiro!

neve-NY

Compras

Ainda que não tenha sido o nosso foco, é praticamente impossível fugir de uma boa e velha pechincha gringa. Só que com o dólar nas altuuuuuras, comprar no Brasil tá saindo um melhor negócio em quase tudo.

Century 21– Passamos rápido no primeiro dia, onde comprei um casaco por 40 dólares – aquele preto que eu estava em quase todas as fotos. É super leve, de pluma, esquenta e não ocupa espaço. Achei que ia ser 120 mas na hora do caixa passou 40, pensa na alegria! E um chapéu de lã nude que tanto queria que estava de 50 por 8 doletas.

Bed Bath and Beyond – Compramos a capa do carrinho do Dudu e quase chorei na sessão baby, vontade de ter outro (mas passou logo, kkk). Além daquelas fugidinhas nas Marshalls e TJMaxx da vida. Não consigo não ir quando passo por uma, mas dessa vez fui forte e não comprei nada.

Woodburry Outlet – Não estava na programação, mas como passamos na frente pra ir pra Hunter Mountain, resolvemos parar lá pra “almoçar”. Por um breve momento me arrependi de ter comprado as roupas de Ski na Decathlon porque a Columbia estava praticamente toda com 70%OFF, mas ainda assim sairia pelo mesmo preço. Comprei uma bota quentinha de neve pra mim por 60 dólares e uns casaquinhos pro Dudu. Tiago comprou luvas de ski e por aí fechamos as compras. Estava maior chuva e como o outlet é aberto, então tocamos pra montanha! Ah, mas antes passamos da Modells (loja de artigos esportivos fora do outlet) pra comprar nossos óculos de Ski.

 

Restaurantes (esqueci de fotografar as comidas, foi mal!)

Tonys di Napoli – Fomos logo no primeiro dia. Italiano e preço bom. Um prato serve três! Fica próximo da Times Square.

Maria`s Mont Blanc – Surpresa boa da viagem. Melhor comida de todas! Como era do lado do nosso hotel, resolvemos arriscar. É um bistrô de um francês simpático (o preço não é tanto assim, média de 35 dólares o prato individual). Eu pedi uma tilápia e tiago pediu um spaghetti  (Dudu comeu os dois num prato extra :P). Tempero maravilhoso, pratos super bem apresentados. Comida boa de verdade. Morremos de inveja das mesas ao lado que pediram Fondue, a gente só viu que tinha depois!

Shake Shack – O melhor dos fast foods, pão delicioso e carne sem gosto de minhoca, kkkkk. Fomos perto do Museu de Historia Natural.

Bela Vita Pizzeria – fica na 158 W com 58th. Descobrimos por acaso também. Típica pizza americana, só que gostosa. Também tem massas. O restaurante é um cubículo, mas super limpinho, organizado, bom e barato! Depois eu vi que eles são super bem recomendados pelo Google + e Trip Advisor.

Godiva – Chocolate quente! Não vai nos outros drinks… eu fui e me arrependi!

Chipotle – Dudu odiou! Mas eu e Tiago amamos. Mexicano com boas opções e preço ok. Amei o burrito, mas gosto de pimenta!

Além da porcariada de sempre, claro. Amo as hotcakes (ou panquecas) do McDonalds de café da manhã, peço plain só com syrup. Starbucks, Dunkin Donuts, Cinnabon e esse monte de coisa light!

Como eu disse no post anterior, nossa viagem foi curtinha, e ainda assim fizemos em um ritmo tranquilo, sem aquele rush e correria!

Pra quem quiser uma lista bem legal de programas infantis, este é o melhor site, oficial da cidade!

http://www.nycgo.com/dora

Se lembrar de mais alguma coisa, vou atualizando!

O próximo post da viagem vai ser sobre a estação de Ski.

 

Beijos

Bia

22fev

New York no frio e com a cria! (parte 1)

Oi belezuras.

Vou contar aqui um pouco dos preparativos de NY. Ficamos por lá quatro dias (congelantes) com o Dudu.

New-York-com-crianças

Mas antes de começar, acho interessante explicar um pouco do nosso “perfil viajante” e dos preparativos.

A gente não faz o turista frenético. Como a vida lá em casa já tem agito o suficiente, ninguém passa sufoco pulando de galho em galho (ou de pontos em pontos turísticos). Se der pra fazer tudo, ótimo. Se não der, ok. Dormir poucas horas, principalmente com a cria junto, tá fora do contexto.

Ah, e amamos sair caminhando sem rumo, então muitos locais não são necessariamente famosos ou super recomendados por outras pessoas.

Ficamos em New York de 12 a 16 de fevereiro. Pegamos o dia mais frio do ano, no sábado chegou a dar -20 graus na rua. Então, principalmente nesse dia pegamos leve nas programações externas, o que comprometeu um pouco a nossa programação, mas mesmo assim deu pra curtir muito.

Tópicos úteis pra quem vai com criança:

– Carrinho: Eu levei o carrinho do Dudu, um Chicco Liteway véio de guerra que eu amo de paixão. Só usamos carrinho ainda em viagens, acho necessário, é o maior sossego. A gente sai pra bater perna sem se preocupar, já que ele não acompanha o ritmo caminhando sempre. Principalmente em NY foi a salvação, porque deixamos ele quentinho no cobertor. Quando nevou, compramos uma capa na Bed Bath and Beyond (minha loja favorita de coisas pra casa da vida). Ele tem quase 5 anos (faz em agosto) e pesa perto de 20kg e o carrinho ainda dá pro gasto.

– Arrumando as malas: Nosso voo do Brasil era pra Fort Lauderdale, como a gente vai pra Orlando depois, achamos melhor comprar um trecho doméstico FLL – NY, o que acabou com a farra na hora de fazer a mala. 20kg por pessoa, cada um com uma bolsa normal e UMA mala de mão pros três. Cada mala extra custaria 50 dólares por trecho, ou seja, nem pensar! O problema é que a mala precisava ter de tudo, roupas de -20 a +30 graus. O que eu fiz?

Levei um bom casaco e comprei outro lá, e foram os dois casacos que passei nos dias frios. Pro Dudu, a mesma coisa, dois casacos (comprados no Brasil). Como fomos esquiar, também levei uma roupa completa de Ski pra cada um.

Tudo que eu comprei especial pro frio, foi da Decathlon. O preço deles é ótimo e, com o dólar a mais de quatrorreal, fica bem mais barato do que comprar fora.

Recomendo comprar da Decathlon: Segunda pele, roupas de ski, roupas infantis e fleece (adulto e infantil), além de luvas e gorros pra crianças. Pro Dudu comprei uma bota de frio impermeável, que também dá pra neve.

Comprei uma bota pra mim da Columbia, também impermeável e pra neve, quentinha que só! Uma amiga emprestou a dela e chegando lá comprei a minha, paguei 60 dólares no Outlet. No Brasil vi por mais de mil reais.

Gorros, luvas, cachecol, meia calça de lã (pra mim), levei tudo daqui.

Ah, e a parte da minha mala pra Orlando? Enchi de vestidos, assim se fica frio coloca meia calça e casaco, se tá calor vai só com ele. Foi a solução pra diminuir o volume!

– Comida e brinquedos: Dessa vez não levei nenhum tipo de comida e trouxe apenas o iPad. Como tinha limite de bagagem, ficou mais fácil cortar tudo da lista. Dudu é chatinho pra comer junkie food (que bom, né?), mas gosta de massas e a gente capricha nos lanches, compramos frutas (banana salvadora!) e por aí vamos nos virando.

Bom, acho que vou dividir em dois posts (até porque dá pano pra manga e vocês voltam depois, #safadinha #espertinha). No próximo eu conto melhor nossos passeios e o que valeu (além do que não valeu) à pena.