10mar

Veja o que rolou na semana da mulher!

Tem acontecido tanta coisa nesse mundão de meu deus que tá difícil acompanhar tudo.

 

Chega mais pra saber das últimas!

 

Victoria Beckham incentiva mães a trabalharem

 

A estilista e ex-spice girl tem quatro filhos minha gente, QUATRO (e eu aqui com unzinho e rebolando). Ela trabalha bastante e incentiva as mães a trabalharem e a dar esse exemplo aos filhos. (me identifico!) Se quiser ler a matéria toda tá aqui.

 

Teste comprova e capacidade multitarefa das mulheres

 

Olha, essa pesquisa científica que o Fantástico mostrou nós já sabemos faz tempo (né, não?). Mulheres de fato conseguem fazer mais coisas ao mesmo tempo, nosso dia tem mais que 24h com certeza (rs). Assista o vídeo da matéria aqui.

 

Saúde mental na maternidade

 

Esse texto é bem naquele estilo “seja a mulher da sua vida”. Ainda no clima do dia das mulheres, essa reflexão é importante para nossa saúde mental e também para a saúde dos nossos filhos. Leia mais aqui.

 

Supernanny responde as dúvidas mais frequentes dos pais

 

As vezes eu queria que a Supernanny fosse tipo a Mary Poppins e aparecesse em casa naqueles momentinhos mais difíceis. Toca aqui se você tá comigo nessa! Podemos ver um vídeo dela com dicas aqui. (Mas já vou dizendo, educar filho dos outros é sempre moleza, quero ver com os dela! haha).

 

Mulheres grávidas podem engravidar?

 

Ainda bem que não aconteceu comigo! (hahahaha) Uma coisa de cada vez, né? Por mais absurdo que possa parecer, a ciência descobriu que algumas mulheres podem ovular durante a gravidez. (chocada) Lê aqui ó.

 

Mulher de Gustavo Lima grávida

 

Lindona na foto, com aquele look comfy que a gente ama, pra fechar o resumão! Olha a modelo aqui.

Na ASM você encontra peças assim, versáteis, práticas e confortáveis.

Confere lá e conta pra gente!

 

19mar

Sobre maternidade e o encontro com a própria sombra

por Juliana Baron

 

Estou lendo o livro “A maternidade e o encontro com a própria sombra” da Laura Gutman, e estou adorando. Talvez você já tenha ouvido falar (bem ou mal) dele ou você não tenha gostado muito da leitura – e te entendo completamente -, mas como eu comungo demais com a posição da autora e como acho que vale a reflexão, hoje quis vir falar um pouco sobre ele.

De forma bem resumida, Laura afirma em seu livro, que a maternidade, além de ser um momento maravilhoso, revela a sombra da mãe (entenda por sombra a parte escura do mundo psíquico e espiritual) e que o bebê sente como se fossem todos os seus sentimentos, os da mãe, sobretudo, aqueles dos quais não tem consciência. A autora, ao longo da obra, explica e exemplifica essas afirmações e fala sobre como essas manifestações, que refletem a sombra da mãe, podem servir para o seu crescimento pessoal.

maternidade-encontro-com-propria-sombra

Disse no início que entendo quem não gostou do livro, porque sei que ouvir sobre o vinculo e a responsabilidade direta que temos sobre nossos filhos, não é mesmo tão sonoro assim. Compreender e aceitar que choros, cólicas e incomodações, por exemplo, têm ligação direta com a maneira como nós mães nos tratamos e nos sentimos, pesa e pode causar muitos incômodos internos. Não, não estou trazendo à tona aquele clichê de que “a culpa é sempre da mãe” porque sempre fujo dessa piada sem graça e detesto quando usam o termo “culpa”. Quer vincular o cuidado de uma mãe ao comportamento do filho? Fale em responsabilidade.

Ok, mas por que afirmo que as colocações de Laura me agradam? Porque por experiência própria, sei que a maternidade releva as nossas próprias sombras e depois de algum tempo de análise, me foi revelada a via mais do que direta entre o que eu vivo e como meu filho se apresenta. Imaginamos que iremos engravidar, que tudo serão flores e que os únicos contratempos serão os físicos, como excesso de peso, enjoos e azia. Só que não. Parece que a partir do momento em que nos descobrimos grávidas, nos enchemos de dúvidas e emoções desconhecidas, contraditórias. É como se a poeira das nossas inquietações, que Laura diz que seriam todas nossas misérias, alegrias, inseguranças e situações que precisam ser resolvidas, fosse assoprada para fora do nosso tapete psíquico. Muitas vezes, até escolhemos não vê-la, afinal estamos ocupadas demais com os preparativos e as listas, mas então o bebê nasce e a poeira continua por ali. E se escolhemos não vê-la, as inquietações se apresentam através de sintomas comuns. É o leite que não desce, o bebê que só chora, uma tristeza que toma conta…

Entendo que não é fácil falarmos sobre caos interno, crise de identidade e desestruturação espiritual durante um dos momentos mais bonitos na vida de uma mulher, mas tenho para mim que há beleza em toda essa impermanência e que se nos déssemos mais atenção durante esse período, sairíamos muito mais fortes dele. Criaríamos filhos mais saudáveis psiquicamente, mais disponíveis para a vida e muito mais independentes. Também entendo que talvez a gravidez não seja o melhor momento para que todas as mulheres reflitam sobre suas pendências emocionais ou vasculhem seus alicerces psíquicos. Sei que algumas possuem questões mais práticas a serem resolvidas, como o relacionamento com o pai daquele filho, por exemplo, mas acredito, de verdade, que a gestação vai muito além de passar creme na barriga, fazer um book bacana ou pensar na decoração do quarto, e se pudermos e estivermos dispostas a mergulhar para dentro de nós mesmas, sairemos dela muito mais íntegras e evoluídas.

Enfim, para quem não conhece o livro e para quem gosta de questionar suas crenças empoeiradas, fica a indicação.

Como essa semana completo 38 semanas de gestação, talvez não apareça no próximo mês, mas assim que eu me organizar na nova rotina, entre uma mamada e outra e entre uma reflexão e outra, espero aparecer por aqui.

Beijos, Juliana Baron

(Não entrei muito na questão da figura paterna porque só posso falar por mim, que sou mãe, e o livro foca no que Laura chama de fusão emocional bebê-mãe).
Juliana Baron é um milhão de mulheres em uma só e isso, às vezes, gera uma confusão absurda (por isso, tanta terapia) e, consequentemente, muito assunto para escrever. É apaixonada pelo universo feminino e pretende trabalhar com ele assim que se formar em Psicologia. É mãe do João e está grávida de mais um menino, mas jura que vive uma vida para além da maternidade. É coach, gosta de ler, de escrever, de organizar armários, de colecionar coisas e de relembrar a infância.

10maio

Ser mãe muda tudo!

Gosto de falar que todo dia é dia das mães! Mas não dá pra negar que a gente costuma refletir mais sobre a maternidade com essa overdose de campanhas emocionais rolando na mídia.

Eu queria uma mensagem especial pra mandar pra vocês de dia das mães. Fiquei pensando em algo diferente pra escrever. Matutei, matutei, e nada. Tive a sensação de que tudo já foi dito, que seria mais do mesmo.

Queria algo que fugisse desses clichês que a gente vê por aí. Uma mensagem que tivesse tudo a ver com a gente, com a nossa fase, mas simples e verdadeira.

Quando vi essa ação da Nextel fiquei emocionada, traduziu perfeitamente o meu sentimento materno, tocou meu coração de verdade e era exatamente o que eu queria passar pra vocês.

Veja mais clicando AQUI!

Sou mãe, mas também sou filha. Ser mãe mudou tudo em mim, descobri uma força que eu não tinha e passei a enxergar a minha mãe com outros olhos. Nossa relação melhorou muito depois que Dudu nasceu. Sou muito grata e feliz por isso!

Um feliz e maravilhoso dia das mães pra você e pra sua mãe. Pra minha mãezinha linda também!

#sermaemudatudo

POST PATROCINADO

 

18mar

Até onde o blog pode chegar?

Eu sou bocuda. Falo pelos cotovelos. Falo até demais.

Falo muita coisa que não devia falar. Não penso muito antes de falar. Muitas vezes me arrependo.

Quando começo a escrever, eu cuspo palavras e ideias, adoraria poder colocá-las exatamente em seu formato embrionário, falo besteira demais. Mas aí vou lapidando. Edito, corto, adiciono, pra finalmente vocês lerem essa porcariada toda. hehe. Tudo isso porque, embora possa não parecer, tomo cuidado com a exposição de alguns assuntos da minha vida pessoal na internet. Minha maior preocupação, talvez a única com isso tudo, é o protagonista dessa história toda. Preciso dizer o nome dele?

Aqui deixo muito de mim. Mas a minha história já não é só minha. E será que um dia isso pode incomodar meu filho? Será que ele poderá sofrer bullying por causa de algo, com muito amor, escrito aqui? Será que ele vai ter vergonha de ler o nome dele algum dia, em um canal aberto da internet?

Eu venho refletindo sobre isso faz algum tempo. Li dois textos de amigas que explicam e-xa-ta-men-te as minhas preocupações.

10 fotos de seus filhos que não deveriam estar na internet (Diiirce)

Sobre o primeiro namorado (Mãetamorfose)

E não é só blogueira que sofre desse mal. Qualquer rede social que exponha a intimidade exagerada de nossos filhos pode ser um problema no futuro. Nós estamos vivenciado uma coisa totalmente nova. Eu não tenho nenhum registro público a meu respeito e nem sei como isso teria sido na minha adolescência, naquela fase chata do cheiro de suvaco que tudo é motivo de vergonha. Sem falar na importantíssima questão da segurança familiar ao expor certas coisas!

Escrevi esse texto também pra dar satisfação sobre o primeiro vídeo do Agora Sou Mãe, que ainda não foi ao ar. Ao revê-lo com esse olhar, achei que algumas coisinhas pudessem ser motivo de desconforto pro Dudu no futuro. Não foi nada demais, juro! Mas já estou gravando outros!

Se eu vou continuar com o blog, falando da minha vida e do Dudu? Lógico que sim.  Escapar ilesos da exposição virtual, com certeza nossos pequenos não irão. Vou continuar falando de tudo e mantendo meu jeito de sempre, porém com alguns pequenos cuidados quando o assunto for o meu precioso Dudu.

Beijinhos!

Bia

29nov

Moda para grávidas por Cristina Evangelista Martins

Olá gravidinhas, tudo bem? Hoje tem mais uma sugestão de look para ajudar a resolver o dia-a-dia de vocês. Continuando na linha “clássicos das gestantes”, mais uma peça que não pode faltar no nosso closet: a legging. Junto do vestido longo, ela é nossa melhor amiga nessa fase em que conforto é tudo.

Mas não precisa ser necessariamente básica e sem graça. Podemos trazê-la para uma tendência, como a estampa étnica, em tons bem coloridos, e tirá-la da mesmice total. Outra dica é procurar uma peça com material bem confortável, como a viscose com elastano – também conhecida como viscolycra – que é super molinha, e se atentar ao elástico do cós, que deve ser bem suave para não apertar. Essa definitivamente não é a fase das leggings de academia, que tendem a comprimir o corpo, e nós não precisamos disso certo?

moda-a-gestante moda-gravida-fashion moda-divertida-gestante moda-gestante moda-para-gravidas moda-para-gestantes2

Para coordenar uma peça tão colorida não há mistério, muito pelo contrário, ela te dá mil opções de combinação, basta escolher uma parte de cima em um dos tons da estampa para ficar harmônico. De resto é só escolher um calçado confortável, nesse caso optei por uma alpargata, para sair um pouco das sapatilhas de sempre, e investir nos acessórios, que sempre dão graça ao look.

CRÉDITOS

Look completo Moda Básica, acessórios acervo pessoal.

Fotos: Ezequiel Medeiros Estúdio de Fotografia

04nov

Confessionário Materno com Mariana Amaral

Quem senta no divã do blog hoje é a Mariana Amaral, mãe da Aninha (colega de sala linda do Dudu) e dona de uma marca de acessórios que leva seu nome e faz o maior sucesso! 

mari_amaral

Nome Completo: Mariana do Amaral 

Nome e idade da filha: Ana Luísa do Amaral de Melo, 2 anos e 9 meses 

Profissão: Empresária (Mariana Amaral Acessórios

Gravidez Planejada? Como foi? Minha gravidez foi a maior surpresa que eu já tive, quando descobri tinha apenas 21 anos, e apesar de ter um relacionamento de 7 anos, ainda não era casada. Tive muita dificuldade para aceitar a gestação, sofri muito, acreditava que atrapalharia todos os meus planos, que não era a hora e que eu não estava pronta, mas não havia mais o que fazer. Enjoei do primeiro dia até a hora da cesariana, vomitava diversas vezes durante o dia e a noite. Quando a Ana Luísa nasceu eu entendi o que é o amor de verdade. Acho que não existe nada mais lindo, mais perfeito. Hoje eu vejo que se eu escolhesse uma “hora certa” ela jamais chegaria, e que essa surpresa, foi na verdade o melhor presente que já ganhei. 

Como é sua rotina e da sua família? Pode resumir um dia seu pra gente? Acordo as 6:30 da manhã, e vou a academia, (nessa hora a Aninha fica com a minha mãe, porque meu marido sai pra trabalhar cedo). Volto pra casa, tomo um banho, e corro pro trabalho. O fato de o meu escritório ser do lado da casa da minha mãe, facilita muito a minha vida. Ao sair para almoçar deixo-a na escolinha, e volto para o trabalho, normalmente quem busca ela é o papai, que às vezes já leva ela pra casa, e outras deixa ela no ateliê comigo. Normalmente, saio do trabalho tarde, aí chego em casa e tem aquela maratona, dar banho, comida, brincar um pouquinho e cama! Temos o hábito de dormir com as galinhas, já que acordamos super cedo!

Qual o melhor programa em família para as horas vagas? Ir a praia é nosso programa favorito, mas quando o tempo não ajuda, vamos ao parque ou ao shopping.

Como é o seu trabalho e como concilia carreira e maternidade? Meu dia a dia é super corrido. Amo meu trabalho e ele exige muito de mim, estou sempre com pressa, na “correria”, tenho que me virar nos 30 pra dar conta de tudo, passo pouco tempo com a Aninha, mas tento aproveitar ao máximo o tempo que estou com ela. Tenho ajuda da minha mãe e do maridão, que é bem presente. Muitas vezes a Aninha me acompanha em muitos compromissos, ela é muito compreensiva e parceira.

Como funciona a divisão das tarefas na sua casa? Conta com alguma ajuda ou encara tudo sozinha? E o marido.. qual o papel dele?  Meu marido me ajuda desde a maternidade, posso contar com ele sempre que fico apurada, muitas vezes ele leva ela pra casa e quando eu chego já esta de banho tomado e já jantou. Tenho também a minha mãe que me ajuda muito, fica com a Aninha na parte da manhã e quebra meus galhos, quando preciso sair. Mas ainda assim, nós mamães sabemos que quando a coisa aperta é só a gente que “da jeito”.  Se não houvesse essa parceria, com certeza teria que ter alguém em casa pra me ajudar. Nas tarefas domésticas conto com uma faxineira uma vez por semana. Como todas sabemos, é muito pouco. Tenho que dar conta de lavar roupa, fazer comida e manter a casa em ordem. Faço o que posso!

Toda mãe tem um momento de fuga, em que quer achar o botão OFF de qualquer jeito.. Qual o seu? Para onde costuma ir e o que faz? A Academia me ajuda muito a descarregar o stress, nunca fui muito adepta, mas de um ano pra cá tenho me dedicado bastante e tem me ajudado muito. Amo praia, e sair pra colocar o papo em dia com as amigas. Mas na maior parte do tempo ela me acompanha, somos muito amigas e parceiras. 

O que você mais inveja (no bom sentido) na vida de quem não tem filhos? Acho que me arrumar com tempo, tomar aquele banho longo… Deitar na cadeira da praia e esquecer do mundo! Agora, é sempre com os dois olhos bem abertos, e sempre correndo! 

O que as pessoas que não tem filhos mais invejariam em você? Acho que são muitas coisas. Essa cumplicidade, amizade e amor que criamos, é algo único. Não existem palavras que posam descrever o amor que sentimos, é lindo, é puro. 

Quais são os seus principais cuidados de beleza? Malha, faz dieta? Comecei a malhar a um ano. Inicialmente não seguia nenhuma dieta, mas o tempo vai passando e tem que correr atrás, não só por uma questão estética, mas pela saúde também. Era totalmente sedentária, e tinha os piores hábitos possíveis, de uns meses pra cá tenho cuidado mais da alimentação e me dedicando cada vez mais a malhação. Hoje já não é mais um sacrifício, amo a academia, me faz muito bem, e quando os resultados vão chegando você vai se dedicando cada dia mais. Sou super vaidosa, adoro moda, beleza, mas sou preguiçosa e não tenho muito tempo, pra mim é um sacrifício ficar numa maca de massagem uma hora, cabelereiro então, nem se fala, só em casos de extrema necessidade. 

E produtos de beleza? Algum milagroso pra dividir com a gente?

Não uso nenhum, tenho preguiça até de usar hidratante! Hahaha Gosto de investir em shampoos bons, como os da linha da Loreal.

Comprou algum produto (ou produtos) no enxoval que se arrependeu? E o que você comprou que não abriria mão e amou? Vale de tudo, do fútil ao útil! Comprei muitos bicos, todos os modelos e formatos, ela não usou nenhum! Hoje eu vejo o quanto foi melhor, por não passar pelo processo de tirar.  Tinha também um daqueles carrinhos todo cheio de acessórios, mas usei mesmo foi um bem levinho (aquele que abre e fecha semelhante a um guarda-chuva)que comprei para uma viagem, porque ele pode ser levado na bagagem de mão. Foi uma das minhas melhores aquisições! Comprei também uma maquininha de tirar leite elétrica, não serviu para nada! Nunca consegui tirar, apenas com a manual. 

E pra manter a chama do casamento acesa depois dos filhos? Tem algum segredo que pode revelar pra gente? Acho que aí está um dos pontos mais difíceis. Depois de uma rotina cansativa de trabalho, no final do dia você quer se jogar na cama e deu! Pra ajudar a Ana Luísa dorme na minha cama até hoje. Tenho lido muito a respeito, e a questão hormonal influencia muito, principalmente para as usuárias de anticoncepcional, inclusive fiz uns exames recentemente. Ainda assim, tento vencer a rotina aproveitando uma baladinha vez ou outra, ou fazendo programas de namoradinhos, esses normalmente são os mais difíceis, porque sempre levamos nosso “pacote” junto!

De médica e louca toda mãe tem um pouco? Sempre temos nossas teorias, e pra ajudar sempre tem uma tia, avó, prima amiga, que gosta de dar uma opinião. Não sou neurótica. Não tenho essa coisa de esterilizar tudo, cuidar com o brinquedo, não brincar aqui ou ali. Acredito que as crianças precisam de anticorpos, precisam brincar e aproveitar o momento. Sou bem tranquila nada de neuras!

Qual foi a coisa mais absurda que já te falaram sobre maternidade? E quando estava grávida, algum comentário que te tirava do sério? Escutei muito: “Aproveita e dorme agora!”, ficava bem angustiada, sempre adorei dormir e achava que nunca mais ia dormir uma noite inteira. No início realmente foi bem complicado, mas com o tempo você se adapta a nova vida e nada mais é sacrifício. A maternidade tem muito mais coisas boas a oferecer do que coisas ruins. Até hoje a gente escuta muita coisa, absorvo o que acho bom e finjo que não escuto o que acho ruim. 

Complete à vontade, sem dó nem piedade!

Foi uma grávida muito… disposta! (Apesar de sempre enjoada!)

Depois que virei mãe, eu nunca mais… Quis outra coisa!

Nunca me avisaram que… eu seria tão feliz!

Sinto-me culpada quando… Trabalho demais e sobra pouco tempo para ela.

Perco a cabeça quando… ela faz suas reinas, e coisas erradas.

Amo muito quando… Quando acordo com muitos beijinhos!

Mãe vive ocupada, mesmo assim não abro mão de… conversar, entender e brincar.

Antes de ser mãe eu não sabia que eu conseguiria, agora eu vejo, que quando nasce um filho, nasce também uma mae!

Minha maior dificuldade é…. entregar os deveres da escola em dia! (Sorry Prof.) 

Meu maior defeito, como mãe, é…. são tantos, mas sempre tento corrigi-los.

Minha maior qualidade, como mãe, é… querer estar sempre perto. Aprendendo todo o dia. 

Ser mãe é…. Algo lindo, perfeito, é um sentimento único que só quem é sabe. É a melhor coisa que existe! Amo ser Mãe!

Adorei conhecer melhor a Mari, além de linda ela é um amor de pessoa!

Beijinhos e boa semana!

Bia