24abr

Dia mundial da meningite

Meningite_Crianca_Final

24 horas.

Esse é o tempo necessário para a meningite se manifestar e colocar em risco a vida de um bebê, criança ou adulto. Quando não é fatal, a doença tem grandes chances de deixar sequelas para uma vida toda.

A cada ano, cerca de 1 milhão de pessoas são atingidas pela meningite, que tem rápida ação e difícil diagnóstico.

Hoje, dia 24 de abril, é o Dia Mundial da Meningite. 28 países e inúmeros parceiros espalhados pelo mundo estão unidos para conscientizar a população da complexidade dessa doença e importância da vacinação como principal forma de prevenção. Falando nisso, você já vacinou seu filho?

Como parceira da campanha #VençaaMeningite, não poderia deixar de compartilhar histórias de vida de dois atletas que, apesar das severas sequelas deixadas pela doença, são motivo de orgulho e superação e vão representar nosso país esse ano.

Tive o prazer de conhecê-los no evento de abertura da campanha.

Como mãe, é impossível não se emocionar ainda mais.

 

O site Casa de Vacinas informa local mais próximo de você para vacinar seu filho.

Neste post aqui, você também encontra mais informações.

 

#gsk, #meufuturocampeao, #juntoscontramenengite e #vençaameningite

post-patrocinado

21mar

Os perigos da meningite

No último dia 3 estive em São Paulo para participar do lançamento de uma campanha nacional de conscientização dos riscos da meningite, Vença a Meningite, do laboratório GSK. O meu papel é espalhar para o maior número de pais e mães dados reais sobre essa doença, que pode chegar a 40% de letalidade em alguns casos.

Os personagens “reais” dessa campanha são cinco atletas paralímpicos que contraíram a doença meningocócica na infância. Conhecemos um pouco de suas histórias de vida, de suas famílias, da luta e vitória sobre essa doença de rápida evolução e difícil diagnóstico.

Eles são um exemplo de superação, verdadeiros guerreiros!

A fotógrafa Anne Geddes com os atletas: Ivanilde, Suelen, Jhulia, Andrey e Filippe.
A fotógrafa Anne Geddes com os atletas: Ivanilde (basquete), Suelen (corrida), Jhulia (corrida), Andrey (natação) e Filippe (goalball).

Além dos atletas, conheci duas grandes fotógrafas. Anne Geddes (a famosa precursora dos ensaios newborn fofos no mundo!) e a brasileira Simone Silverio, referência em ensaio newborn e gestante, que fotografou nossos atletas paralímpicos.

Anne Geddes é embaixadora mundial da conscientização sobre os riscos da doença meningocócica. 15 crianças atingidas pela doença, de todas as partes do mundo, foram clicadas pelas lentes da fotógrafa, que nos apresentou esse trabalho contando a história de cada uma delas. Foi um momento de muita comoção e reflexão sobre os valores da vida. Confesso que fiquei tensa, achei as cenas fortes, porém bonitas. Foi impossível conter as lágrimas.

Unidos contra a meningite!
Unidos contra a meningite!

Foi um evento muito rico em informação, vou passar algumas delas pra vocês:

  • 36% dos casos de meningite são causados por bactérias (doença meningocócica), 43% virais, e os outros 21% são ainda de origem não descoberta.
  • A prevenção consiste em manter hábitos de higiene adequados: lavar as mãos com frequência e manter o ambiente ventilado. Além da vacinação que protege da meningite bacteriana (tipos A, B, C, W e Y).
  • A meningite é transmitida principalmente pelo contato direto com gotículas respiratórias através de contato com a saliva, principalmente tosse e espirro. Ainda que seja possível a transmissão através do compartilhamento de talheres e copos, o meningococo resiste pouco tempo ao ambiente externo.
  • A letalidade da doença meningocócica pode ocorrer entre 10 e 20% dos casos, mesmo com diagnóstico precoce e tratamento adequado. Sem tratamento, a mortalidade supera 50% dos casos.
  • A meningite tipo B é a que mais mata em todo o mundo.
  • A faixa etária com maior risco de letalidade é entre 0 e 2 anos de idade.
  • O evolução da doença meningocócica é muito rápida. O óbito pode ocorrer 24 horas após o aparecimento dos primeiros sintomas. Por isso é tão importante que a pessoa afetada pela doença seja diagnosticada e atendida com urgência, ainda nas primeiras horas.
  • Os sintomas são muitas vezes confundidos com o de uma gripe ou qualquer outra virose. Febre alta, dor de cabeça e prostração aparecem nas primeiras 4 horas. Após esse período, começa a rigidez da nuca e até manchas pelo corpo. Os pais devem levar a criança imediatamente ao pronto socorro para o tratamento adequado. É uma verdadeira corrida contra o tempo.
  • A faixa etária da população transmissora das meningites causadas por bactérias é mais abrangente do que a faixa etária da população dos afetados gravemente (normalmente crianças). Jovens são o maior grupo transmissor da doença meningocócica. Por isso a prevenção deveria acontecer também na população transmissora, que porta a bactéria mas não é afetada pela doença.
  • Na região Sul há uma maior incidência de infecções pelo meningococo do tipo W quando comparada as demais regiões do país.

 

Eu particularmente ainda não vacinei o Eduardo com a vacina Meningocócica ACWY. Tinha até entrado na lista de espera e, quando me chamaram, estava na praia, então foi aquela enrolação e acabei deixando pra lá. Como soube que aqui no sul há maior incidência do tipo W, decidi que vou vaciná-lo o quanto antes.

 

post-patrocinado