A maternidade por si só já é capaz de mudar a vida de uma mulher, e a tendência de que essa mudança se estenda até a vida profissional está cada vez maior. 

A gente nasceu de uma mãe empreendedora! A Bia Mendes criou o blog quando estava grávida do Dudu para compartilhar as experiências, e ele cresceu até chegar onde está hoje!

Inspiradas por essa história, através do instagram, nós convidamos mães empreendedoras para contar um pouco de como a maternidade às levou a tomar a decisão de criar o seu próprio negócio!

Conheça a seguir (e nos próximos sábados!) as experiências de mães que empreenderam motivadas pela maternidade — e os seus negócios! 

Dulce Maria, de 56 anos, é mãe de duas meninas e a motivação que precisava para mudar a sua vida veio de maneira singela. Enquanto internada, sua filha Ana encontrou um problema: a geleia do hospital não era gostosa. 

Depois de todos que as visitaram se apaixonarem pela receita, veio a pergunta “Mãe, por que não fazemos disso algo maior?” e assim as três mulheres encontraram a força para enfrentar as dificuldades e investir em um novo projeto. De uma empresa criada em um um dia, hoje, quase três anos depois, a empresa da família se prepara para sua primeira exportação.

“A Caiu do Pé teve um papel fundamental e trazer nós 3 de volta do buraco. Nos trouxe propósito para continuarmos como a família de mulheres fortes que somos”.

Tornar-se mãe foi a motivação necessária para Jaqueline, há um ano sem exercer a profissão devido a uma gestação de risco, buscar uma forma de conciliar o trabalho e o tempo para a família no empreendedorismo. 

Pós graduanda em Direito Previdenciário, Jaqueline, de 29 anos, não esconde as dificuldades que encontrou, tendo uma filha de apenas dois meses de vida quando começou seu negócio “Já cheguei a amamentar minha filha, contar o tempo que tinha até o próximo mamá, ir ao escritório, trabalhar, atender, e voltar em tempo para dar o mamá…  Não foi nada fácil, mas consegui”.

Ela considera que empreender foi a melhor decisão de sua vida: mesmo precisando abrir mão de muitas coisas e se dedicar dia e noite, até nos finais de semana, hoje considera que está colhendo os frutos de seu trabalho árduo e dedicação. Sua dica para as mães que buscam empreender é “Arrisque! Vá com medo mesmo! Dê o seu melhor sempre e faça tudo com amor, que o resultado é garantido.

A necessidade de sair do mundo acadêmico e passar mais tempo com a família surgiu para a doutora na área de cuidado em saúde, Jéssica, que encontrou um alento e possibilidade de empreender no artesanato. 

No início de 2018, criou seu ateliê para se afastar da rotina massacrante da acadêmia, e teve certeza que a antiga vida não era mais para ela. Agora com a possibilidade de empreender e ter a sua filha por perto, Jéssica não parou, reestruturando a sua antiga profissão de professora hoje, também, como palestrante.

Com um lado criativo que nem sabia que tinha aflorado e a realização de poder dedicar mais tempo à criação da filha, Jéssica deixa a sua dica valiosa para quem quer empreender: “Não tenha medo de ser fiel à sua essência. Batalhe, lute, enfrente os desafios, porque vale a pena lutar por seus ideais”.

Em 2014, Carina abandonou sua carreira de advogada para realizar seu sonho de ser mãe e estar presente na criação dos seus filhos. Empreendeu no ramo de vestuário feminino por dois anos, mas acabou abandonando a atividade e decidindo advogar por conta própria. 

Foi em 2017 que a filha Lavínia nasceu, que Carina viveu a maternidade integral por mais de um ano. Voltar para o mundo corporativo não fazia mais sentido em sua vida.

Aproveitando a alegria de realizar seu sonho, Carina decidiu iniciar o processo de coaching, almejando transformar a vida de mães que se encontram na mesma situação em que ela esteve um dia, ajudando a se encontrarem e ver-se realizadas. Sua filha e sua história de vida foram os seus motivos para persistir nessa mudança tão difícil, que hoje já lhe rendeu resultados e uma rede de apoio de e para mães.

A partir de um problema, Gabriela, em 2018, viu uma oportunidade. Desde bebê, sua filha enfrentava grande dificuldades para dormir e manter o sono.“Além da função de toda madrugada, tinha todo o dia seguinte cuidando dela. Eu era um zumbi ambulante!“.

Quando sua filha Sara já tinha um ano e meio, Gabriela descobriu uma espécie de “redinha” de pano, onde sua filha conseguiu dormir quase instantaneamente! Agora suas noites em claro tinham outro motivo: planejar um protótipo de casulo prático, bonito e ergonômico, um auxiliar natural para o sono do bebê. 

Empreender já é bastante árduo, e empreender junto à maternagem é ainda mais.”, mas diante das dificuldades e desafios, foi onde Gabriela descobriu como se fortalecer e crescer ainda mais como mãe e mulher.


O primeiro contato com o filho Davi e a realização do lixo gerado pelas fraldas descartáveis foi o que moveu Laís, inspirada a reduzir o impacto ambiental, a adentrar no mundo do empreendedorismo. 

Em 2013 teve o primeiro contato com as fraldas ecológicas e viu nisso a oportunidade profissional. “Hoje já evitamos que 26 toneladas de lixo fossem geradas junto com nossos clientes”.

Ciente da dificuldade de conciliar a maternidade com o profissional, Laís nos inspira ao buscar contratar mães e manter a jornada de trabalho, inclusive na fábrica, reduzida.




Pin It on Pinterest

Compartilhe!