E ai você pensa: Agora sou mãe.

Um carrossel de emoções acontece dentro de você quando descobre estar gravida.

É como se tivéssemos um potinho pequeno o qual está recheado com medo, insegurança e curiosidade, e tem um outro pote, bem maior, que está cheio de amor que por muitas vezes transborda!

 Junto com as emoções, o corpo da mulher durante a gestação passa por diversas modificações hormonais fisiológicas importantes para que o corpo vire morada, sendo nítidas as alterações corporais advindas desse processo: os seios crescem, a pelve se abre, o abdômen se alonga e se separa, a pele se distende e o períneo fica sobrecarregado.

Tudo isso, para que o crescimento saudável do bebê seja possível e adaptações corporais acontecem independente da via de parto escolhida, desejada ou necessária. 

Quando chega o momento do nascimento, seja ele da maneira que for, é importante que você esteja preparada para toda a montanha russa envolvendo hormônios e emoções que irão atingir seu corpo e seu coração. Busque informação, tenha uma equipe que te acolha, mas que também tenha os mesmos propósitos que você. Que te diga: estamos aqui contigo.

Mas que se preciso for, vai tornar o momento do nascimento por cesariana o mais único e inesquecível de todos e com muita segurança. Você que desejou tanto a gestação, ou que aprendeu o que é amar esse serzinho mesmo que por uma ironia e/ou dadiva do destino merece assistência humana e apoio. O Parceiro(a) neste momento é peça crucial para que a rede de apoio esteja completa.

Agora tudo se completa, e você percebe que estar na posição de dedicação constante á um serzinho que acabou de chegar no mundo é maravilhoso, mas também um ato de doação. Tempo integral de cuidados intensivos, vigílias inacabáveis tão necessárias no primeiro mês de vida do seu bebe e da sua nova vida.

Em um dado momento, em meio a tudo que está vivendo, você se encontra buscando incansavelmente por aquela “mulher” que você era antigamente. Seja na maneira de se vestir, seja na sua rotina do dia-dia ou no corpo que agora é o seu mas que não o reconhece mais, você mudou e sua família cresceu.

 Foram tantas mudanças envolvendo preparações físicas e emocionais durante a gestação para o parto, tantos preparativos para a chegada, não é mesmo? Consultas obstétricas, fisioterapia pélvica, exercício físico, quartinho do bebê, entre tantos outros.

Agora no pós-parto é natural que você se envolva com os cuidados e afazeres do bebê e que esteja em outro ritmo, porém é importante lhe dar a chance de se reconectar com sua persona e ser gentil com você mesma.

Se preciso for, vá em busca de orientação especializada, converse com sua família e com a equipe que te assistiu durante a gestação e parto. A assistência humanizada não deve e não acaba ali no parto. Fale abertamente com eles. Eles saberão te orientar e indicar ajudar profissional adequada, e acima de tudo, olhe para dentro de você, busque não apenas aceitar seu novo EU, mas principalmente ser feliz com seu processo.

É preciso se encontrar como mulher, como parceira e entender que o novo título de mãe é mais um tijolinho na sua construção e evolução como ser humano e talvez o mais importante de todos durante sua vida. Se ame, Se cuide. 

— Texto por Carol Funchal, Fisioterapeuta Pélvica e Obstétrica.

Clínica Funchal Fisio | Fisioterapia Especializada

Pin It on Pinterest

Compartilhe!