Filhos únicos são egoístas e solitários. Pensam que são reis do mundo.

E pais que optam por um único filho são egoístas também.

Famílias grandes são mais felizes.

Quando vai ter outro? Não vai dar um irmãozinho(a) pra ele(a)?

Duvido algum pai ou mãe de filho único que não tenha ouvido pelo menos duas dessas frases. Embora eu já tenha ouvido todas. E falei também! Confesso.

O fantasma do filho único só perde pra um no ranking dos incompreendidos e julgados formatos familiares.

CrownE o Oscar vai para: O casal sem filhos por opção.

Algumas pessoas agem como se não ter filhos fosse um desacato à condição humana.

Eu sinceramente, respeito e entendo a opção, embora pense diferente.

Não curto a ideia de terceirizar a criação. Vejo muita criança mais apegada à babá do que à mãe. Acho que isso me desmontaria.

Ser mãe é muito diferente de ter um filho. Qualquer uma pode ter filhos aos montes, fica ainda mais fácil quando se tem dinheiro, avós, escolas boas, etc.

É só pedir pra babá trocar a fralda e postar foto do bebê Johnson na rede social. Agora devolve que ele regurgitou.

Tipo filhos órfãos de pais vivos.

Tem gente que tem filho porque gosta de bebê. Porque tá na onda dos amigos. Porque gosta de brincar de vez em quando com criança.

Eu entendo que ter filho é também abrir mão de muita coisa, por muito tempo. Educar é a tarefa mais repetitiva e cansativa do mundo.

É doar uma parte de ti tão grande que tu descobres que tem o dobro do teu tamanho. É se desdobrar em mil. E como cansa!

Ao mesmo tempo em que a sociedade julga um único (ou nenhum) filho, a mulher que ainda opta por cuidar da casa e da família é menosprezada, vista como incapaz, ou até preguiçosa.

“Maternidade não é desculpa, mulher pediu pra ser igual, agora vai ter que dar conta de tudo!”

Só que eu conto nos dedos os pais que realmente assumiram a outra ponta da corda. É matemática. Tirou daqui, alguém precisa colocar ali.

Só pra esclarecer, não sou contra ter babá ou deixar com avós. Eu tenho a maior sorte de poder ter as duas coisas e do Dudu ter um pai presente.

Só acho que a babá é uma ajudante da mãe, e não o contrário. E acho essencialmente saudável que a mulher tenha vida fora da maternidade.

filho-unico

Ah, o assunto aqui é o segundo filho! Quer saber minha opinião?

Ter um filho só está sendo maravilhoso. Depois de 3 anos eu tenho liberdade, tempo livre, consigo namorar, trabalhar, viajar, festar, cuidar de mim AND ser uma boa mãe.

Sem falar que o Dudu é nosso parceiro em tudo: restaurante, chá de cadeira, avião. Ele topa todas e, logicamente, dá bem menos trabalho do que se fossem dois.

Por outro lado, eu estou disposta a abrir mão dessa “mordomia” um belo dia. Só que esse belo dia ainda não chegou.

Talvez chegará final desse ano. Porque a recompensa pelo sacrifício, no meu caso, ainda é infinitamente maior.

Pin It on Pinterest

Compartilhe!