Amamentação é proteção para a vida inteira. Proteger a amamentação é responsabilidade de todos” é tema da campanha do Ministério da Saúde para Agosto Dourado, ressaltando a importância de toda a sociedade se comprometer para que a amamentação seja incentivada.

“A mãe que não amamentou não tem culpa. A responsabilidade é de todos. A gente vive num sistema que impede essa mulher de amamentar, são profissionais que não são treinados, família que não ajuda, cobrança, e não temos ninguém para ajudar. Também não há proteção social quando falamos do retorno ao trabalho, por exemplo” defende Amanda Ibagy, pediatra especialista em aleitamento materno. 

É preciso uma aldeia para criar uma criança. O provérbio africano pode ser aplicado também à amamentação. Um dos processos mais desafiadores para a maioria das mulheres não acontece sem apoio. Do companheiro (e é preciso entender que a amamentação é da família), de profissionais e da sociedade toda, que precisa oferecer condições para que a amamentação aconteça de um jeito mais leve. Se você está próxima a uma lactante ou a uma mãe que nutre seu filho com fórmula, não julgue. Ofereça suporte mental e físico, carinho e apoio. A jornada certamente será mais leve.

“Amamentar nos dia de hoje é uma resistência. Atualmente, é mais difícil a gente amamentar do que dar uma mamadeira. E cada uma sabe das suas dores. Não podemos ficar nesse jogo de mulheres contra mulheres: de um lado as que amamentaram e de outro as que não amamentaram, e no meio disso a gente fala que amamentar é amor. Amamentar não é amor, amamentar é sobre dar o melhor alimento. Muitas vezes a gente vai fazer isso sem amor porque a gente sabe que é o melhor. Precisamos diminuir esse abismo, essa romantização e não ir para os extremos”, finaliza Amanda. 

Pin It on Pinterest

Compartilhe!