A maternidade é um momento singular que carrega experiências extraordinárias!

Cada história é única, mas ao mesmo tempo ninguém tá sozinha: mães solo, mães adotivas, mães que trabalham fora, mães que não trabalham (fora), mães atípicas, mães depois de muitas tentativas, mães que nem queriam ser mães, mães que se reinventaram, mães incríveis….

Mães de tudo que é jeito, porque queremos mostrar que a maternidade é plural e não pode ser colocada numa caixinha.

Durante esse mês das mães, vamos contar as histórias de várias mulheres para homenagearmos e celebrarmos esse momento tão especial juntas!

E pra começar, vamos falar um pouquinho da nossa @biamendes, que transformou a surpresa que foi a maternidade num impulso pra criar a Agora Sou Mãe. Depois de uma gravidez não planejada aos 24 anos e no início da sua carreira, ela viu tudo desabar. “Meu maior desespero foi quando ganhei meu primeiro pacote de fraldas e eu percebi que, de fato, alguém ia usá-las”. 

Sem qualquer pessoa próxima passando por algo parecido, ela sentia falta de conversar e dividir as dores e dúvidas sobre esse novo universo tão diferente, em que caiu de paraquedas.

Foi assim que resolveu se atirar de vez e criar o blog Agora Sou Mãe – na época, um diário pessoal que fazia as vezes de terapia. “Como eu não tinha noção do que viria pela frente, decidi abraçar de vez a maternidade num lugar onde eu pudesse dividir todas as minhas vulnerabilidades, medos e fraquezas, mas sempre com bom humor – aprendi a rir dos meus próprios problemas, e acabei entretendo algumas pessoas também”.

Juntando o crescimento do blog e a paixão que sempre teve por moda, surgiu a nossa marca queridinha. “Eu tive que escolher entre voltar para o meu trabalho anterior ou apostar tudo que eu tinha – na época nove mil reais – pra fazer a marca acontecer e, claro, ganhar mais tempo com o Dudu, meu primeiro filho. Com muito trabalho, enjambração e participação de pessoas incríveis que surgiram ao longo dos anos, a ASM virou o que vocês conhecem hoje.”

“Hoje já sou mãe de dois, mas brinco que são MUITOS filhos, e busco encarar a maternidade com leveza e bom humor, apesar dos surtos tão necessários para minha (tentativa de) equilíbrio mental”

A nossa homenageada do segundo dia do mês das mães é a maravilhosa Karol Soares, do @blognovemeses, que tem uma trajetória incrível e inspiradora para muitas que estão tentando entrar nesse mundo da maternidade e ainda não conseguiram – e pra todo mundo, na verdade. 

Ela, que é obstetra em Floripa (e uma das melhores!) e lida com mulheres grávidas todos os dias, foi tentante por quatro anos. Depois de muitas tentativas de fertilização frustradas e dias desanimadores, Karol e o marido entraram na lista de adoção. “Entendemos como o processo de adoção seria difícil e demorado! Talvez este tenha sido um dos meus dias mais tristes! Parecia que todas as portas se fechavam”.

A gente sabe que os dias difíceis fazem parte da vida das tentantes, mas esta etapa da história da Karol teve um final feliz (assim como sei que você, tentante que nos acompanha, também terá): a maravilhosinha Manu chegou no ano passado, fofíssima e saudável, pra mostrar que a maternidade era ainda mais do que ela estava esperando tão ansiosamente.

“Desculpe o meu mundo cor de rosa, mas minha bebê tem só 5 meses e eu estou in LOVE não só com ela mas com a maternidade! Acho que trouxe muita cor para a minha vida! Eu achei de verdade nos quatro anos de tentativas que talvez não fosse dar certo! Então hoje a gratidão que inunda meu coração por tê-la e poder vivenciar isso é bom demais! Todos os perrengues do dia a dia ficam tão pequenos!”

Ah, e a Karol também deixou uma linda mensagem para todas as mulheres que estão passando pela mesma situação que ela conheceu tão de perto: “Viva o caminho e não esqueça de ser feliz durante o processo. Não dá para querer encontrar felicidade só no fim! O bebê pode ou não chegar, mas a nossa felicidade não pode só depender disto”.

A Karol acolhe diariamente muitas mulheres no seu trabalho em consultório e também aqui pelo Instagram @blognovemeses (aliás, corre lá pra seguir porque o conteúdo é incrível).

Hoje vamos contar a história da Cínthia Mendes, médica dermatologista em Tubarão-SC, 33 anos, e mãe da fofíssima Isabela, de 2 anos. 

A gravidez foi uma surpresa maravilhosa, mas veio num momento super difícil para a família: seu pai estava passando por um problema muito grave de saúde. “Quando eu descobri que estava grávida, um sentimento de esperança se renovou dentro de nós. Durante toda a gravidez eu batalhei para me permitir viver as alegrias de estar grávida e ao mesmo tempo estar presente para meu pai e minha família.”

Apesar das dores e da partida do pai, a chegada de um bebê sempre é uma alegria. “Meu pai partiu exatamente 3 semanas antes da minha filha Isabela chegar. E ela chegou para trazer de volta à nossa vida os sorrisos, o amor, leveza e alegria.

Hoje, Cínthia é exatamente o que chamamos de mãezona – e não só isso, é uma mulher incrível, que concilia a vida profissional e a maternidade de um jeito super natural e leve – apesar de não ser sempre fácil, como bem sabemos. “Eu não esperava que não fosse conseguir nem 2 minutos pra fazer um xixi em paz. 🙈” (tamo junta, amiga!).

A maternidade é algo muito poderoso e, para ela, ajudou a descobrir quem ela realmente é. “Me transformou em uma mulher 100% segura. Sou completamente segura de quem eu sou, do que eu busco e quero para minha vida.” 

Ser essa mulher forte e independente fez com que a Cínthia entendesse o quanto é importante passar esses valores para a sua filha – sabemos bem que criar novas meninas e mulheres pra esse mundão é um desafio e tanto, e não pode ser subestimado! “Ser mãe de mulher me fez estudar e aprender algumas coisas que considero essenciais e que quero passar pra ela. Me transformou em responsável pela criação da essência e pelo desenvolvimento do caráter de outra pessoa. Isso conta muito pra mim.” 

Com certeza a Isabela tem um exemplo sensacional em casa pra se tornar a melhor versão que ela puder ser! Ah, e você pode acompanhar a vida profissional e pessoal da Cínthia no @dracinthiamendes, com dicas incríveis de dermatologia e a fofura da Isabela também de vez em quando!

A homenageada de hoje é a Gleice, ou @preetagley, de 23 anos, empreendedora e criadora de conteúdo de Salvador-BA, e mãe da fofíssima Eloah, de 1 ano e 9 meses.

A gravidez foi um susto, e ela teve que encarar tudo sem o auxílio do pai do bebê. “Tive que trabalhar até os 9 meses da minha gestação, trabalhava durante a madrugada em um bar/restaurante e era muito cansativo, mas eu tinha que aguentar. Pois eu estava naquela situação praticamente sozinha, o pai da minha filha nunca foi presente.”

Se a gravidez foi difícil, o nascimento não facilitou as coisas. Depois de um parto sofrido de mais de 18 horas, a Eloah precisou ir para a UTI neonatal, pois havia sido asfixiada pelo cordão umbilical. “Esse foi o momento mais difícil e triste da minha vida, nada saiu como eu esperava. Durante esse período que ela ficou internada, foram muitos choros, noites em claro,  muito sofrimento, mas sem perder a minha fé que eu ia sair daquele hospital com a minha filha nos meus braços e bem!”

Depois de 19 dias, na véspera do seu aniversário, Gleice ganhou de presente a alta da filha. O alívio veio junto do desafio que é a adaptação da rotina à chegada de um bebê, que sempre é super difícil, mas ganha alguns níveis extra quando a mãe é sozinha! 

“Apesar de trabalhar em casa, exige muito de mim, a minha filha é muito agitada, então eu só consigo fazer algo com ela dormindo e essa é uma tarefa bem difícil! Geralmente eu trabalho durante a madrugada, que ela dorme e eu fico mais tranquila, durante o dia com os afazeres de casa é eu limpando e ela sujando, eu arrumando e ela bagunçado, e assim eu vou levando, tentando ser 10 pessoas em uma só.” 

O dia a dia é puxado mas, no fim das contas, a maternidade sempre dá um jeito de nos fazer mais fortes e resilientes – e ao mesmo tempo mais sensíveis, e com a Gleice não foi diferente. “Hoje eu sou muito mais grata pela minha vida e a da minha filha, valorizo as pequenas coisas, sou mais sensível, me coloco mais no lugar das pessoas, sou mais paciente e enxergo a vida com outros olhos, de uma forma mais leve.”

Incrível é pouco!

Já pensou adotar e engravidar ao mesmo tempo? A Luma virou mãe de dois de uma hora pra outra e tem uma história incrível pra contar!

A Luma e o marido estavam há dois anos na fila de adoção, e queriam adotar uma criança de até 5 anos. Mas como a maternidade sempre nos mostra que não temos controle de quase nada, quem ganhou o coração do casal foi a Alice, já com 10 anos. “A maternidade nua e crua caiu no meu colo“. E, pra deixar tudo ainda mais complexo (e delicioso), ela também está grávida do Enzo, que chega logo logo!

“Por 12 anos foram apenas meu marido e eu na nossa total liberdade, e de um dia para o outro me vi grávida e mãe de uma pré-adolescente, não foi e não é fácil, mas sim, tudo passa, tudo melhora, tudo se ajeita da melhor maneira possível.”

Tudo muda com a chegada de um filho, e é claro que isso traz desafios, mas também torna a vida muito mais interessante. “Dias bons e dias ruins, dias de ainda muita expectativa estão por vir com a chegada (próxima) do baby Enzo, mas vivemos um de cada vez, e quando olho para trás e vejo tudo o que vivemos – mesmo em pouco tempo – e evoluímos, sinto muito orgulho e amor!”

A história da Luma vem pra nos lembrar que a maternidade existe de diversas formas, que não tem receita de bolo nem certo e errado – e que por mais que a gente espere e planeje, as coisas simplesmente acontecem. “A maternidade me virou de cabeça para baixo, mudou tudo e me mudou! No meu caso, aprender a ter mais paciência e ensinar meus valores para outra pessoa tem sido transformador, pois eu passei a rever todas as minhas atitudes e meus próprios valores.”

Pra quem tá pensando em adotar, Luma tem um recado: “Adote! Pense na ideia, incentive, se você conhecesse de perto cada história que existe e soubesse que essas crianças inocentes precisam APENAS de amor, o mundo seria muito melhor! Não somos nada hoje na nossa bolha, não conhecemos nada do mundo, ele é muito maior.”

Gostou? Então corre pra seguir a @lumapaganella pra acompanhar de perto essa família incrível ❤

Quanto tempo você levou pra entender que não existe o “momento ideal” pra maternidade e muito menos a “mãe perfeita”? A Camila, professora de Yoga e meditação, mãe da Zoe de 2 anos e grávida de 8 meses, já entendeu que isso é balela.

Depois de 11 anos morando em diversos países da Ásia, a Camila resolveu voltar pra perto da família no Brasil pra ter a sua primeira filha, Zoe. “Quando eu descobri que estava grávida foi um misto de emoções, por estar realizando um sonho e também por saber da responsabilidade que é trazer um ser humaninho ao mundo!”. 

Por saber que a tarefa não seria fácil, ela se “afundou” em livros, artigos e qualquer coisa que pudesse ajudá-la a ser uma “mãe melhor”. Só que isso muitas vezes acabava mais confundindo do que ajudando! “Quando eu comecei a escutar os meus instintos e deixar de lado a ideia da maternidade perfeita, tudo começou a fluir muito melhor, foi quando eu comecei a conseguir curtir ainda mais a maternidade e todas as suas facetas.”

Além disso, ela entendeu que, por mais que a gente leia, estude e planeje tudo, a vida sempre tá aí pra nos jogar de volta aquelas cuspidas pra cima (mães encharcadas do próprio cuspe – uni-vos!). “Eu que sempre jurei que nunca ia fazer cama compartilhada, estamos aqui, eu e meu marido, compartilhando a cama com nossa filha de 2 anos e com o meu barrigão de 8 meses, vamos ter que aumentar a cama! Mas estamos todos dormindo bem e felizes, no final, isso é o que importa.”

E tá errada? Apesar dos perrengues, a experiência da maternidade transcende e transforma tudo. “Sempre fui uma pessoa com dificuldade de me impor, mas agora, pelas minhas filhas, pela minha família, aprendi a virar leoa se necessário.

As transformações são constantes e potentes, e nada se iguala a acompanhar o dia a dia de uma vida nascendo, se desenvolvendo e crescendo! “Cada fase da minha filha até agora exigiu uma diferente fase de mim, a todo momento preciso me reinventar“.

Se você curtiu as good vibes da Camila, acompanha ela lá no @camilazenoficial!

Já imaginou dar à luz e criar um bebê num veleiro? Pois foi exatamente isso que a Georgia fez, e hoje vamos conhecer essa história tão linda e diferente.

Faz 5 anos que ela e o marido decidiram deixar pra trás toda uma vida pra embarcar (literalmente) numa aventura incrível: morar num veleiro e navegar pelo mundo. “Saímos de Floripa, navegamos o Caribe e agora estamos na Polinésia Francesa, Taiti, onde acaba de nascer nossa nova tripulante, nossa filha Isla. Já visitamos mais de 20 países e pretendemos seguir viagem agora com nossa pequena maruja.”

 Desafios não faltam: “Sou mãe de primeira viagem, longe dos meus familiares, em um país que fala uma língua (francês) que não sou fluente e vivo em um barco.” Parece impossível, mas se tem uma coisa que a maternidade faz com a gente é nos tornar adaptáveis, resilientes e prontas pra qualquer coisa, e é claro que com a Georgia não foi diferente.

“Nossa Isla Maimiti nasceu de parto natural, saudável e bem acordada e veio direto para os meus braços de onde não saiu mais. O nome Maimiti significa ‘vinda do mar’ em polinésio. 3 dias depois do nascimento dela, estávamos de volta a bordo do nosso veleiro.

Com certeza o veleiro Unforgettable vai proporcionar memórias inesquecíveis pra essa família tão única e, apesar das tormentas, Georgia se descobriu muito realizada com esse novo papel de mãe. “Eu não podia imaginar que ia estar tão contente e feliz com esse ser que acabou de nascer, sempre imaginei que seria bom mas não fazia ideia do quanto.'”

Mesmo sendo mãe há pouco tempo, ela tem uma mensagem pra quem vai tá encarando essa aventura que é o puerpério: “seu bebê passará por muitas fazes, hoje ele pode não dormir e amanhã pode dormir bem, a amamentação vai ficar mais fácil e prazerosa, um dia você vai voltar a dormir, tudo é passageiro então aproveite o seu bebê, tente não se comparar com outras mães e crianças e confie em você e no seu instinto. Você é tudo que seu bebê precisa nesse começo de vida.”

Você pode acompanhar essa família linda e incrível no @unforgettablesailing

Uma história mais linda do que a outra, né? 🥰

Durante esse mês, toda semana contaremos sete histórias incríveis aqui no blog, mas você também pode acompanhá-las pelo nosso instagram!

Pin It on Pinterest

Compartilhe!